Publicidade

Comportamento

Saiba quem é Sergio Rial, o ex-CEO da Americanas (AMER3)

O executivo, que acaba de deixar a empresa, foi CEO do Banco Santander Brasil

Saiba quem é Sergio Rial, o ex-CEO da Americanas (AMER3)
Sergio Rial, o ex-CEO da Americanas (AMER3) (Foto: HÉLVIO ROMERO/ESTADÃO)
  • Um fato relevante das Lojas Americanas (AMER3) informou que foram detectadas “inconsistências contábeis” na ordem de R$ 20 bilhões nos balanços da varejista
  • Com isso, o então CEO da empresa, Sergio Rial, renunciou ao cargo apenas dez dias após ter assumido

O mercado de capitais foi pego de surpresa na noite da última quarta-feira (11). Um fato relevante da Americanas (AMER3) informou que foram detectadas “inconsistências contábeis” na ordem de R$ 20 bilhões nos balanços da varejista. Com isso, o então CEO da empresa, Sergio Rial, renunciou ao cargo apenas dez dias após ter assumido. André Covre, diretor financeiro (CFO) e de relações com investidores da companhia, também decidiu se desligar.

Nesta quinta-feira (12), Rial participou de uma videoconferência organizada pelo BTG Pactual para dar explicações sobre os problemas contábeis da Americanas. Na ocasião, ele disse que a “empresa não foi transparente, mas não é tóxica”, reforçando ainda que o momento de insegurança pode ser visto como uma oportunidade de reformulação para o setor de varejo como um todo.

Formado em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e em Economia pela Universidade Gama Filho, Rial iniciou sua carreira em instituições financeiras no banco ABN AMRO em 1984.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Depois, passou a atuar no antigo banco de investimentos norte-americano Bear Stearns. Em 2004, foi contratado pela empresa de alimentos Minnesota Cargill, onde ocupou o cargo de vice-presidente executivo e de diretor de finanças.

Após deixar a Cargil, continuou no setor alimentício. Na divisão Seara Foods, do grupo Seara, assumiu a posição de CEO por dois anos. Já em 2014, Rial tornou-se presidente da Marfrig, uma das maiores empresas de proteína animal do mundo, ficando no cargo por um ano.

O executivo chegou ao Banco Santander Brasil em 2016 e assumiu o comando da instituição até dezembro de 2021. Durante a gestão dele, o braço brasileiro da instituição financeira se tornou a unidade mais rentável do grupo Santander, além de ter alcançado o melhor índice de eficiência e de retorno sobre o patrimônio líquido do sistema financeiro nacional por vários trimestres.

Foi com ânimo que os investidores viram o anúncio de Rial como futuro presidente da Americanas no lugar de Miguel Gutierrez, que permaneceu no cargo por quase 30 anos. Em agosto de 2022, a varejista comunicou ao mercado que a escolha foi feita porque o executivo tem “vasta experiência em diversos setores, incluindo relevante vivência internacional por mais de 15 anos na Ásia, Europa e nos Estados Unidos”.

Na época, a companhia ganhou quase R$ 2 bilhões em valor de mercado, quando suas ações subiram mais de 20% no primeiro pregão pós-comunicado.

Publicidade

Agora, João Guerra assume o cargo temporário de CEO da Americanas. Mesmo deixando o comando da varejista, Rial deve ajudar os acionistas de referência na apuração sobre o rombo de R$ 20 bilhões, prestando apoio como assessor nesse processo.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Web Stories

Ver tudo
<
>

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos