Publicidade

Criptomoedas

A projeção dos traders para o bitcoin e o mercado cripto em 2023

Empresas avessas ao risco estão se afastando de um mercado abalado pela falência da FTX

A projeção dos traders para o bitcoin e o mercado cripto em 2023
Foto: Envato Elements
  • Os traders pessimistas estão sinalizando que os prejuízos com as criptomoedas vão continuar no próximo ano
  • A curva de futuros do Bitcoin está emperrada em backwardation, o que significa que seu preço à vista é maior do que seu preço futuro
  • A desarticulação entre os mercados de à vista e de futuros surgiu em 11 de novembro, o dia em que a FTX entrou com o pedido de falência

Os traders pessimistas estão sinalizando que os prejuízos com as criptomoedas vão continuar no próximo ano, já que as empresas avessas ao risco estão se afastando de um mercado abalado pela falência da exchange de ativos digitais FTX.

A curva de futuros do bitcoin está emperrada em backwardation, o que significa que seu preço à vista é maior do que seu preço futuro. O contrato de janeiro de 2023 do CME Group caiu para o seu menor valor desde o lançamento no início de novembro e está estagnado na negociação em mais de 1% abaixo do preço à vista. Os ativos futuros de bitcoin na plataforma do CME estão todos sendo negociados com desconto.

Os contratos na Deribit, a bolsa de derivativos de criptomoedas em que há muitas ofertas e lances sem um valor mínimo para cada transação também estão sendo negociados com desconto, com o contrato de janeiro sendo avaliado em US$ 17.290, quase o mesmo valor do preço à vista do bitcoin, em cerca de US$ 17.300.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

“Isso mostra uma forte tendência de baixa no mercado, sem nenhuma expectativa de boas notícias em breve”, disse Michael Safai, CEO da Dexterity Capital. “Os traders estão se preparando para um período de negociação lenta e insignificante, provavelmente até março ou um pouco mais.”

A desarticulação entre os mercados à vista e de futuros surgiu em 11 de novembro, o dia em que a FTX entrou com o pedido de falência. É o período de backwardation mais longo na Deribit desde julho de 2021, de acordo com o diretor comercial da exchange, Luuk Strijers.

Os preços dos futuros mudaram em conjunto principalmente antes da falência da FTX e, de vez em quando, foram negociados com uma tarifa superior nos mercados à vista. Grandes quantidades de ETFs (fundos que buscam retorno semelhante a um índice de referência) baseados em futuros significam que os traders de arbitragem poderiam lucrar com a compra de futuros com vencimento no mês mais próximo, sabendo que a demanda de veículos de investimento elevaria os preços desses contratos.

O preço do bitcoin caiu 64% desde o início do ano, de acordo com dados compilados pela Bloomberg.

Na sequência da quebra da FTX e da revelação da bagunça de suas finanças, as corretoras reduziram as atividades devido a preocupações maiores com o risco de contraparte. Isso agravou a desarticulação entre os preços futuros e os preços à vista, à medida que os investidores fechavam as negociações.

Publicidade

“Um monte de gente está migrando para o CME para especular na queda do bitcoin”, disse Stephane Ouellette, CEO da FRNT Financial, plataforma de criptomoedas institucional. “As pessoas estão ficando longe das exchanges offshore e considerando plataformas que estarão disponíveis quando essas apostas expirarem.”

Outros sinais

Outros veículos de investimento focados no bitcoin também estão sinalizando mais inconvenientes. As ações do maior fundo alocado 100% em bitcoin, o Grayscale Bitcoin Trust, atingiram um desconto recorde em meados de novembro em comparação com o valor dos ativos na carteira e hoje estão sendo negociadas com um desconto de 42,6% em relação às participações do fundo.

Dando mais um sinal de quedas, o ETF ProShares Short Bitcoin registrou em novembro o segundo maior volume de entradas desde o seu lançamento, com três semanas consecutivas de fluxos totalizando US$ 40,83 milhões.

Para arbitrar o desconto atual, as corretoras precisariam comprar futuros do CME e entrar em posições de outros mercados de bitcoin para se proteger. Essa estratégia é extremamente desafiadora devido à interrupção da atividade de tomar e fornecer empréstimos, de acordo com Chris Zuehlke, sócio da DRW e chefe global da Cumberland, especialista em ativos digitais.

Isso faz com que restem apenas aqueles com bitcoin em dinheiro para tentar lucrar com a lacuna. “Aqueles que têm seu próprio estoque podem e provavelmente estão lançando mão dele, mas parece que isso não é suficiente para mudar a situação”, disse Zuehlke.

Tradução de Romina Cácia

Publicidade

Web Stories

Ver tudo
<
>

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos