EURO R$ 5,23 -0,06% MGLU3 R$ 4,15 +2,97% DÓLAR R$ 5,15 +0,00% ABEV3 R$ 15,50 +0,45% BBDC4 R$ 19,71 +1,60% ITUB4 R$ 27,24 +1,04% GGBR4 R$ 24,43 -2,08% VALE3 R$ 69,95 +2,34% IBOVESPA 113.512,38 pts +0,43% PETR4 R$ 32,01 +0,91%
EURO R$ 5,23 -0,06% MGLU3 R$ 4,15 +2,97% DÓLAR R$ 5,15 +0,00% ABEV3 R$ 15,50 +0,45% BBDC4 R$ 19,71 +1,60% ITUB4 R$ 27,24 +1,04% GGBR4 R$ 24,43 -2,08% VALE3 R$ 69,95 +2,34% IBOVESPA 113.512,38 pts +0,43% PETR4 R$ 32,01 +0,91%
Delay: 15 min

Guias gratuitos

E-Investidor | Imposto de renda 2022

Como declarar o Imposto de Renda

Para quem tem dúvidas sobre o seu imposto de renda 2022, preparamos um guia completo em uma linguagem descomplicada para tornar a sua declaração mais simples!

Baixar agora
E-Investidor | Imposto de renda 2022

O que os investidores devem saber para declarar o Imposto de Renda | Resumo simples e rápido

Confira de forma resumida as principais dicas e sugestões dos advogados Roberto Justo e Leonardo Briganti para os investidores ficarem atentos na hora da declaração do Imposto de Renda

Baixar agora

Mais conteúdos sobre IR

Ultimas Lives

Perguntas frequentas

No ano de 2022 ocorreram muitas mudanças na declaração do Imposto de Renda. Entre elas, o sistema Pix poderá ser adotado tanto para realizar o pagamento do DARF (Documento de Arrecadação de Receitas Federais) quanto para receber a restituição, desde que a chave registrada seja o CPF do contribuinte. Outra novidade neste ano é que quem possui conta nível prata ou ouro no Gov.br poderá ter a sua declaração pré-preenchida, onde já estará incluso informações sobre rendimentos, deduções, bens e direitos e dívidas e ônus reais, que são alimentadas diretamente no Programa Gerador de Declaração (PGD) do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) 2022.

Para declarar os investimentos no Imposto de Renda 2022, o contribuinte deve verificar todas as movimentações de renda fixa, renda variável e ativos digitais ao longo de 2021. As informações que precisam ser disponibilizadas se referem desde aplicações em poupança, fundos de investimento, imóveis, planos de aposentadoria até aplicações em Bolsa de Valores, criptomoedas e NFTs. Após reunir todos os dados, basta reportar as movimentações na aba “Bens e Direitos” do aplicativo “Meu Imposto de Renda”, da Receita Federal.

O prazo final é até o dia 31 de maio após decisão publicada no Diário Oficial do dia 5 de abril que prorrogou o período de entrega da documentação. Anteriormente, o prazo era até o dia 29 de abril. O limite de envio para quem pretende quitar o imposto a pagar por meio de débito automático na primeira parcela também foi adiado para 10 de maio. Antes, estava delimitado para até o dia 10 de abril.

O recolhimento do imposto já é feito mensalmente para quem investe em ações na B3. Para os investidores que fizeram operações de day trade (ação de compra e venda no mesmo dia, de 10h às 17h), ou scalping (ação de compra e venda em minutos ou segundos, interpretado pela Receita Federal como day trade) é cobrado 20% em cima do lucro líquido dessas modalidades de investimento, sem possibilidade de isenção independente dos valores negociados. O recolhimento dos impostos é feito pelo Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF), obtido através do portal Sicalc, da Receita Federal.

Para quem é MEI, segregar a renda e o patrimônio de pessoa física e pessoa jurídica é essencial na hora de facilitar a prestação de contas com o leão. Na hora de declarar o Imposto de Renda, o empreendedor deve registrar que é proprietário de um CNPJ como MEI, na ficha “Bens e direitos”; e em seguida informar o lucro que a empresa gerou e que foi usado para liquidar despesas pessoais na seção “Rendimentos isentos”. Quem está nesta modalidade também precisa informar os rendimentos ao DASN-SIMEI, o Imposto de Renda de pessoa jurídica. Neste ano, as duas declarações devem ser entregues até o dia 31 de maio.

As criptomoedas são ativos financeiros e devem ser declaradas no Imposto de Renda. Por isso, os investidores devem reportar na ficha “bens e direitos” as aquisições acima de R$ 1 mil, sendo os ganhos tributáveis apenas para os rendimentos obtidos em um mês superior a R$ 35 mil. Em seguida, basta inserir o código do ativo digital específico no grupo 8, dos criptoativos. Apesar de não existir uma cotação oficial, o contribuinte também deve guardar a documentação que comprove a autenticidade dos valores das criptos para informar à Receita Federal.