Publicidade

Investimentos

Quanto rendem os R$ 50 milhões da Quina na poupança e no CDB?

Comparar retornos pode auxiliar na hora de escolher aplicações mais adequadas a diferentes perfis

Quanto rendem os R$ 50 milhões da Quina na poupança e no CDB?
Comparar rendimentos ajuda a tomar decisões melhores. (Foto: Envato Elements)

A Quina sorteia nesta terça-feira (23) o maior prêmio da história da loteria em edições regulares, pelo concurso 6423: nada menos do que R$ 50 milhões, que podem ser aplicados de diferentes formas por eventuais apostadores que venham a levar a quantia.

A caderneta de poupança é a principal aplicação entre os brasileiros, segundo o Raio X do Investidor 2023 — levantamento realizado todos os anos pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). Mas outros produtos de renda fixa, seguros e com alta previsibilidade, podem ser alternativas melhores em termos de rentabilidade.

Para entender as diferença, é preciso lembrar que quando a taxa de juros (Selic) está acima de 8,5% ao ano (aa), o rendimento é de 0,5% ao mês (ou 6,17% aa), mais a Taxa Referencial (TR). Hoje, a taxa Selic está no patamar de 10,75% aa, com expectativa de sofrer novo corte na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom).

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Se o vencedor da Quina aplicasse o valor do prêmio na poupança, ao longo de 12 meses, teria retorno pouco superior a R$ 3 milhões, sem considerar a inflação do período. A diferença de rendimento é notável, se comparada a um Certificado de Depósito Bancário (CBD) — produto comum no mercado financeiro e recomendado a acionistas com maior aversão aos riscos.

Pelos mesmos 12 meses, os R$ 50 milhões da Quina devolveriam ao investidor cerca de R$ 4,8 milhões, se fossem aplicados a um CDB com rendimento de 100% do Certificado de Depósito Interbancário (CDI). Mas vale lembrar que sobre esse produto incide alíquota progressiva do Imposto de Renda (de 15% a 27,5%, a depender da duração do contrato firmado). Quanto mais curto, maior a alíquota.

Antes de adquirir qualquer produto ou tomar decisões sobre finanças, recomenda-se consultar um profissional capacitado, que possa orientar, traçar o perfil do investidor e auxiliar na melhor escolha. Especialmente para aqueles que estão iniciando nos investimentos.

Web Stories

Ver tudo
<
>