ITUB4 R$ 23,54 -4,25% MGLU3 R$ 12,42 +0,89% DÓLAR R$ 5,65 +0,00% EURO R$ 6,58 -0,01% BBDC4 R$ 20,45 -3,91% IBOVESPA 106.296,18 pts -1,34% GGBR4 R$ 26,73 +0,72% PETR4 R$ 27,18 -1,13% ABEV3 R$ 15,00 -1,39% VALE3 R$ 76,08 +1,05%
ITUB4 R$ 23,54 -4,25% MGLU3 R$ 12,42 +0,89% DÓLAR R$ 5,65 +0,00% EURO R$ 6,58 -0,01% BBDC4 R$ 20,45 -3,91% IBOVESPA 106.296,18 pts -1,34% GGBR4 R$ 26,73 +0,72% PETR4 R$ 27,18 -1,13% ABEV3 R$ 15,00 -1,39% VALE3 R$ 76,08 +1,05%
Delay: 15 min
Mercado

Santander pagou mais dividendos do que BB, Bradesco e Itaú juntos no 1º tri

Proventos distribuídos pelos quatro bancos atingiu o quarto maior volume para o período desde 2009

Foto: Sergio Moraes/Reuters
  • O setor bancário lidera a distribuição de dividendos da última década e continua com boas perspectivas para distribuição em 2021
  • Quando o assunto é lucro líquido, o Bradesco ficou na dianteira com volume de R$ 6,2 bilhões entre janeiro e março deste ano
  • Quando o assunto é lucro líquido, o Bradesco ficou na dianteira com volume de R$ 6,2 bilhões entre janeiro e março deste anoAté a sexta-feira (7), as quatro instituições financeiras juntas tinham valor de mercado de R$ 704,54 bilhões, valor 26% inferior ao de dezembro de 2019, segundo o levantamento elaborado pela Economática

A distribuição de dividendos e Juros sobre Capital Próprio (JCP) pelos maiores bancos no Brasil atingiu a cifra de R$ 18,2 bilhões entre janeiro e março de 2021. Esse é o quarto maior volume para um primeiro trimestre, desde 2009.

O campeão isolado foi o Santander (SANB11), que distribuiu 9,85 bilhões no período. Curioso é que os três maiores concorrentes não conseguiram bater, juntos, o primeiro colocado, uma vez que a soma de proventos distribuídos por Banco do Brasil (BBAS3), Bradesco (BBDC3) e Itaú (ITUB4) foi de R$ 8,35 bilhões.

O setor bancário lidera a distribuição de dividendos na última década e continua com boas perspectivas de distribuição em 2021.

No consolidado dos quatro maiores players do setor na bolsa desde 2009, ano em que o Santander estreou na B3, o maior repasse de proventos aos investidores em um primeiro trimestre aconteceu em 2019: R$ 27,97 bilhões. Em 2018, foram distribuídos R$ 24,44 bilhões no mesmo período. Em 2020, terceira maior marca, foram R$ 20,91 bilhões.

Até a sexta-feira (7), as quatro instituições financeiras juntas tinham valor de mercado de R$ 704,54 bilhões, valor 26% inferior ao de dezembro de 2019, segundo o levantamento elaborado pela Economática. O estudo, baseado nos demonstrativos financeiros encaminhados pelos bancos à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), não considera lucros recorrentes e ajustados. Além disso, os números são nominais e sem ajuste inflacionário.

Quando o assunto é lucro líquido, o Bradesco ficou na dianteira com volume de R$ 6,2 bilhões entre janeiro e março deste ano. Na sequência, aparecem Itaú (R$ 5,4 bilhões), Banco do Brasil (R$ 4,2 bilhões) e Santander (R$ 2,8 bilhões), respectivamente.

Somando o lucro líquido consolidado das quatro instituições no período, o volume de R$ 18,6 supera em 35,2 % a marca do mesmo período de 2020. O patamar alcançado nos três primeiros meses deste ano é o segundo mais elevado desde 2009, e só para o primeiro trimestre de 2019 (R$ 19,9 bilhões).

Distribuição de dividendos dos 4 maiores bancos da B3 no 1º tri:

Instituição financeiraDividendos e JCP (em bilhões R$)Lucro Líquido (em bilhões R$)
Banco do Brasil (BBAS3)1,984,23
Bradesco (BBDC3)3,576,15
Itaú (ITUB4)2,805,41
Santander (SANB11)9,852,82
Fonte: Economática

 

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos