ITUB4 R$ 24,76 +2,15% EURO R$ 6,33 -1,15% DÓLAR R$ 5,46 +0,00% MGLU3 R$ 14,56 +2,54% BBDC4 R$ 21,28 +5,24% IBOVESPA 114.647,99 pts +1,29% GGBR4 R$ 28,17 +0,21% ABEV3 R$ 15,53 -0,26% PETR4 R$ 29,60 -0,10% VALE3 R$ 80,68 +1,41%
ITUB4 R$ 24,76 +2,15% EURO R$ 6,33 -1,15% DÓLAR R$ 5,46 +0,00% MGLU3 R$ 14,56 +2,54% BBDC4 R$ 21,28 +5,24% IBOVESPA 114.647,99 pts +1,29% GGBR4 R$ 28,17 +0,21% ABEV3 R$ 15,53 -0,26% PETR4 R$ 29,60 -0,10% VALE3 R$ 80,68 +1,41%
Delay: 15 min
Mercado

Fechamento de Mercado: Risco China cresce com investidores em cautela

Gráfico do Ibovespa caindo em painel da B3.
Painel do Ibovespa (Amanda Perobelli/Reuters)

As preocupações com os impactos da crise financeira da chinesa Evergrande e a indefinição sobre o teto da dívida nos EUA levaram as bolsas globais a quedas acentuadas nesta segunda-feira. O temor é que um eventual default da maior incorporadora imobiliária da China possa contaminar os demais mercados e setores. Nos mercados locais, além do quadro global de aversão ao risco, as preocupações com os impactos fiscais, em meio a tratativas sobre os precatórios, apenas reforçaram o quadro de busca por proteção. Neste ambiente, o dólar encerrou em alta de 0,93%, aos R$ 5,33.

Na bolsa, a queda sequencial do minério levou a uma nova correção nas ações de mineradoras e siderúrgicas, ao mesmo tempo em que os investidores reduziram a exposição a outras commodities, em função do maior risco China. Após tocar a mínima do dia, próximo dos 107.500 pontos, o Ibovespa reduziu as perdas, fechando aos 108.844 pontos (ainda assim, queda forte de 2,3%). O giro financeiro somou R$ 38 bilhões. Vale lembrar que a semana ainda reserva uma agenda relevante, com destaque na quarta-feira para as decisões de política monetária no Brasil e nos Estados Unidos.

 

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos