EURO R$ 5,18 -0,05% DÓLAR R$ 5,10 +0,05% MGLU3 R$ 4,04 +13,41% BBDC4 R$ 19,43 -0,56% ABEV3 R$ 15,42 +1,45% ITUB4 R$ 26,97 +0,97% PETR4 R$ 31,72 -0,35% GGBR4 R$ 25,82 -1,07% IBOVESPA 113.031,98 pts +0,24% VALE3 R$ 68,30 -2,08%
EURO R$ 5,18 -0,05% DÓLAR R$ 5,10 +0,05% MGLU3 R$ 4,04 +13,41% BBDC4 R$ 19,43 -0,56% ABEV3 R$ 15,42 +1,45% ITUB4 R$ 26,97 +0,97% PETR4 R$ 31,72 -0,35% GGBR4 R$ 25,82 -1,07% IBOVESPA 113.031,98 pts +0,24% VALE3 R$ 68,30 -2,08%
Delay: 15 min
Mercado

Fechamento de mercado: Ibovespa cai 1,15% na semana

Fechamento de mercado: Ibovespa cai 1,15% na semana
Painel do Ibovespa (Amanda Perobelli/Reuters)

A sexta-feira (24) foi de apetite por ativos de risco no exterior. O investidor buscou oportunidades atrativas para recomposição de carteira. O dólar DXY cedeu terreno, o petróleo avançou entre 2% e 3%, os ganhos nos principais índices acionários da Europa chegaram a superar 3% (Paris) no fechamento e, em NY, fecharam acima de 2%, variando entre cerca de 5% (Dow Jones e S&P 500) e mais de 6% (Nasdaq) na semana. Apesar da melhora de humor dos investidores, o risco de recessão nos Estados Unidos continuou sendo monitorado.

No Brasil, os investidores avaliaram o IPCA-15 de junho logo pela manhã, que veio praticamente em linha com a expectativa do consenso. Para o Ibovespa, os ganhos acima de 2% dos índices da bolsa de NY foram insuficientes para engrenar uma recuperação mais robusta do mercado acionário brasileiro, que sustentou alta moderada nesta tarde. Voltou a pesar o risco fiscal, reforçado pela expectativa de aumento do Auxílio Brasil, de concessão de voucher aos caminhoneiros e de reforço do vale gás, ante a resiliência da inflação. Assim, ao final do pregão, o Ibovespa encerrou aos 98.672 pontos, com alta de 0,60% e giro financeiro de R$ 22 bilhões. Analisando os setores, as commodities metálicas ignoraram a queda do minério de ferro e ajudaram o índice a se manter no terreno positivo.

Apesar desta alta no dia, o Ibovespa acumulou queda na semana de 1,15%. Foi o quarto recuo semanal, com o Ibovespa ingressando na reta final do mês, que termina na próxima quinta-feira, com ganhos em apenas cinco sessões, incluindo a de hoje. O dólar vs. real, por sua vez, se firmou em alta na última hora dos negócios, fechando cotado aos R$ 5,25/US$ (+0,44%). Os ruídos fiscais aumentaram a demanda por posições defensivas e impediram o real de se beneficiar da onda de apetite ao risco e do enfraquecimento da moeda americana no exterior. O dia também foi de pressão sobre a curva de juros, com a divulgação do IPCA-15, abertura na curva dos treasuries e, principalmente, piora do risco fiscal.

Na agenda da próxima semana, destaque para dados de mercado de trabalho no Brasil. No exterior, além da leitura final dos PIBs do 1T22 dos EUA e do Reino Unido, serão publicados os PMIs da China, Zona do Euro e Estados Unidos.

 

 

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos