EURO R$ 6,20 +0,24% DÓLAR R$ 5,29 +0,00% ITUB4 R$ 27,82 -2,98% MGLU3 R$ 16,57 +1,22% ABEV3 R$ 15,74 -2,29% BBDC4 R$ 20,02 -3,90% GGBR4 R$ 24,60 -6,89% IBOVESPA 111.439,37 pts -2,07% VALE3 R$ 86,15 -2,22% PETR4 R$ 24,93 -5,36%
EURO R$ 6,20 +0,24% DÓLAR R$ 5,29 +0,00% ITUB4 R$ 27,82 -2,98% MGLU3 R$ 16,57 +1,22% ABEV3 R$ 15,74 -2,29% BBDC4 R$ 20,02 -3,90% GGBR4 R$ 24,60 -6,89% IBOVESPA 111.439,37 pts -2,07% VALE3 R$ 86,15 -2,22% PETR4 R$ 24,93 -5,36%
Delay: 15 min
Mercado

Mercado Intraday: Ibovespa em baixa, pouco acima dos 115 mil pontos

ista de painel do índice Ibovespa, principal indicador da bolsa de valores paulista, a B3, que superou a marca de 100 mil pontos, nesta terça-feira (19). Investidores aguardam a tramitação da proposta da reforma da Previdência. 19/03/2019
Foto: Renato Cerqueira/Futura Press

As bolsas asiáticas fecharam em baixa nesta quarta-feira, e as bolsas europeias operaram com sinal negativo após dados fracos da indústria e do varejo da China reforçarem preocupações sobre a perspectiva de recuperação da economia global. Os índices acionários das bolsas de NY (S&P e Dow Jones) operam com modesta alta, puxadas pelo avanço das ações do setor de energia, com exceção do Nasdaq, enquanto o dólar recuava ante moedas fortes e tinha performance mista ante emergentes.

Ao que tudo indica, os mercados à vista poderão ensaiar recuperação das perdas de ontem, com investidores à espera de dados industriais dos EUA. O petróleo já tinha avanço consistente e ampliou os ganhos após o relatório Departamento de Energia apontar queda maior que a esperada. Os juros dos Treasuries de longo prazo caiam pela manhã. Os ativos tentam recuperação, a despeito de alguns dados indicando perda de vigor no processo de retomada global em meio aos efeitos da pandemia de covid. O sentimento de preocupação é equilibrado pela perspectiva de que as autoridades econômicas deverão, nesse cenário, manter por mais tempo os estímulos de liquidez.

Por aqui, o pouco vigor das bolsas de NY e o sinal negativo na maioria das demais praças justificam em parte a queda do Ibovespa. Na agenda econômica local, o IBC-Br foi o destaque do dia. O dado de atividade de julho, apesar de acima da mediana das estimativas, não chegou a fazer preço. Os ativos domésticos encerraram a manhã pressionados também pelas preocupações com o cenário político e fiscal. A percepção do mercado após eventos recentes é de que o caso dos precatórios pode estar longe de ser resolvido, sem uma solução para o Orçamento de 2022 à vista.

O Ibovespa negociava próximo de 13h30 em baixa, em torno de 1%, pouco acima do nível dos 115 mil pontos, em dia de vencimento de opções sobre índice. As ações dos bancos, com peso importante no Índice negociavam no campo negativo, enquanto as ações da Petrobras registravam leve alta, impulsionadas pelos ganhos que chegaram pela manhã a 2% nos preços do petróleo. No câmbio, o impacto das preocupações com o cenário doméstico é limitado pela fraqueza da moeda no exterior e, assim, o dólar oscilava no início da tarde perto da estabilidade.

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos