EURO R$ 5,20 -0,02% DÓLAR R$ 5,07 +0,00% BBDC4 R$ 19,50 +1,09% MGLU3 R$ 3,57 +17,43% ABEV3 R$ 15,19 +0,40% ITUB4 R$ 26,70 +1,06% PETR4 R$ 31,67 +7,06% GGBR4 R$ 26,12 +2,11% IBOVESPA 112.764,26 pts +2,78% VALE3 R$ 70,00 +1,23%
EURO R$ 5,20 -0,02% DÓLAR R$ 5,07 +0,00% BBDC4 R$ 19,50 +1,09% MGLU3 R$ 3,57 +17,43% ABEV3 R$ 15,19 +0,40% ITUB4 R$ 26,70 +1,06% PETR4 R$ 31,67 +7,06% GGBR4 R$ 26,12 +2,11% IBOVESPA 112.764,26 pts +2,78% VALE3 R$ 70,00 +1,23%
Delay: 15 min
Mercado

Ibovespa hoje: Suzano (SUZB3), PetroRio (PRIO3) e Klabin (KLBN11) são os destaques negativos

Índice fechou o pregão em alta de 0,91%, aos 114.780,62 pontos

Ibovespa hoje: Suzano (SUZB3), PetroRio (PRIO3) e Klabin (KLBN11) são os destaques negativos
Foto: Divulgação/Suzano Papel e Celulose/
  • O principal índice da B3 subiu, nesta terça-feira (30), em meio ao otimismo para a reabertura da economia, apesar do quadro ainda grave da pandemia no País
  • As três ações que mais perderam no dia foram Suzano (SUZB3), PetroRio (PRIO3) e Klabin (KLBN11)

O Ibovespa encerrou hoje o pregão em alta de 1,24%, aos 116.849,67 pontos e com giro financeiro de R$ 33 bilhões. O principal índice da B3 subiu, nesta terça-feira (30), em meio ao otimismo para a reabertura da economia, apesar do quadro ainda grave da pandemia no País.

Contribuiu também a percepção de que as recentes mudanças em Brasília tendem a melhorar a articulação política do governo.

Este foi o quarto pregão seguido de alta do IBOV, que se estabilizou na faixa dos 116 mil pontos. Ao longo do pregão, o Ibovespa chegou a tocar a faixa dos 117 mil pontos, o maior nível desde 22 de fevereiro, quando o índice teve cotação máxima acima dos 118 mil pontos.

Nos Estados Unidos, as bolsas encerraram as negociações na mesma direção, com os índices Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq caindo, respectivamente, 0,31%, 0,31% e 0,11%.

As três ações que mais perderam no dia foram Suzano (SUZB3), PetroRio (PRIO3) e Klabin (KLBN11).

Confira o que afetou o desempenho desses três papéis:

Suzano (SUZB3): -2,96%, R$ 70,88

Com baixa de 2,96%, as ações ordinárias da empresa tiveram o pior desempenho do dia e encerraram o pregão cotadas a R$ 70,88. O papel caiu na sessão ainda refletindo o anúncio de aumento de preços da celulose para o início de abril.

“Apesar de um câmbio mais próximo da estabilidade, os investidores estão vendo um dia mais favorável para ativos de risco, se voltando para ações que estavam mais descontadas e que tinham ficado para trás”, diz Henrique Esteter, ao Broadcast.

No mês, as ações ON da empresa têm desvalorização de 3,13%, e no ano, valorização de 21,08%.

PetroRio (PRIO3): -2,52%, R$ 92,02

Com variação negativa de 2,52%, as ações ordinárias da empresa estão na segunda posição entre as que mais caíram, cotadas a R$ 92,02. O papel da companhia caiu no pregão, apesar de o desbloqueio do Canal de Suez ter dissipado os temores sobre a oferta de petróleo.

No mês e no ano, as ações ON da companhia têm valorização de 10,06% e 31,10%, respectivamente.

Klabin (KLBN11): -1,15%, R$ 28,30

Com desvalorização de 1,15%, as ações da empresa fecham o top 3 das maiores baixas do pregão, cotadas a R$ 28,30. O ativo caiu pelos mesmos motivos da Suzano.

No mês, os papéis da companhia têm desvalorização de 3,97%, e no ano, valorização de 6,91%.

*Com Estadão Conteúdo e Reuters

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos