MGLU3 R$ 7,05 +4,29% EURO R$ 6,40 +0,24% BBDC4 R$ 20,76 -0,29% ITUB4 R$ 22,98 -0,35% DÓLAR R$ 5,66 +0,06% IBOVESPA 105.069,69 pts +0,58% ABEV3 R$ 16,00 -0,06% PETR4 R$ 28,76 +1,41% GGBR4 R$ 27,85 +0,69% VALE3 R$ 71,87 -2,20%
MGLU3 R$ 7,05 +4,29% EURO R$ 6,40 +0,24% BBDC4 R$ 20,76 -0,29% ITUB4 R$ 22,98 -0,35% DÓLAR R$ 5,66 +0,06% IBOVESPA 105.069,69 pts +0,58% ABEV3 R$ 16,00 -0,06% PETR4 R$ 28,76 +1,41% GGBR4 R$ 27,85 +0,69% VALE3 R$ 71,87 -2,20%
Delay: 15 min
Mercado

Ibovespa na semana: Suzano (SUZB3), Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3) e Gerdau (GGBR4) são os destaques negativos

Índice caiu 2,37% na semana, passando de 114.300 pontos para 111.576 pontos

Trabalho com minério de ferro em uma indústria
Foto: Shutterstock/T photography/Reprodução
  • Índice caiu 2,37% na semana, passando de 114.300 pontos para 111.576 pontos
  • Os três papéis que mais desvalorizaram nos cinco pregões foram Suzano (SUZB3), Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3) e Gerdau (GGBR4)

O Ibovespa caiu 2,37% na semana, passando de 114.300 pontos para 111.576 pontos. Apesar de uma expressiva alta na segunda-feira, a semana foi marcada por quatro quedas consecutivas, demonstrando o cenário de instabilidade e incerteza no País, especialmente por conta de decisões políticas.

A notícia do aumento do IOF para financiar o Auxílio Brasil resultou na valorização do dólar frente ao real. Segundo analistas, a alta faz parte da estratégia de Jair Bolsonaro (sem partido) para a reeleição em 2022, apesar de os efeitos não serem aprovados pelo mercado.

Outro fator para a queda do índice foi a desvalorização do minério de ferro em 41% na semana, segundo destaca Ricardo França, analista da Ágora Investimentos. O preço da commodity afeta importantes empresas do indicador.

De acordo com Bráulio Langer, analista da Toro Investimentos, caso o índice rompa a barreira dos 110 mil pontos na próxima semana, a situação pode ser bastante complicada para a Bolsa, a ponto de testar a casa dos 105 mil pontos.

Na segunda (13), o principal índice de ações da B3 fechou a sessão com alta de 1,85%. Já na terça (14), quarta (15), quinta (16) e sexta (17), o Ibovespa caiu 0,19%, 0,96%, 1,10% e 2,07%, respectivamente.

Os três papéis que mais desvalorizaram nos cinco pregões foram Suzano (SUZB3), Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3) e Gerdau (GGBR4).

Confira o que influenciou o desempenho dos ativos:

Suzano (SUZB3): -13,27%, R$ 52,61

Por conta da percepção de desaceleração da economia do exterior, as empresas de papel e celulose foram influenciadas negativamente. A SUZB3 cai 13,27% na semana, resultando em papéis precificados a R$ 52,61.

As ações caem 13,75% no mês e 10,13% no ano.

Companhia Siderúrgica Nacional (CSNA3): -11,70%, R$ 29,80

Empresas do setor de siderurgia foram afetadas significativamente pela queda do minério de ferro em 21% na semana. Ocupando o segundo lugar entre as maiores quedas do Ibovespa, a CSN cai 11,70% na semana e tem papéis cotados a R$ 29,80.

A CSNA3 cai 14,52% no mês e 2,52% no ano.

Gerdau (GGBR4): -9,89%, R$ 24,60

Mesmo com a divulgação, na segunda-feira (13), do pagamento recebido pela Eletrobras referente à determinação judicial que deve contabilizar mais de R$ 1,5 bilhões para a Gerdau, a empresa foi influenciada pela queda do minério de ferro.

A GGBR4 cai 9,89% na semana, sendo cotada a R$ 24,60.

Os papéis caem 13,14% no mês, mas têm alta de 4,06% no ano.

*Com Estadão Conteúdo

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos