MGLU3 R$ 2,47 -2,75% EURO R$ 5,55 +0,74% DÓLAR R$ 5,24 +0,00% ITUB4 R$ 23,44 -0,21% BBDC4 R$ 17,92 -0,94% IBOVESPA 98.672,26 pts +0,60% ABEV3 R$ 13,67 +2,48% VALE3 R$ 74,62 +3,21% GGBR4 R$ 23,15 +4,40% PETR4 R$ 26,29 -0,60%
MGLU3 R$ 2,47 -2,75% EURO R$ 5,55 +0,74% DÓLAR R$ 5,24 +0,00% ITUB4 R$ 23,44 -0,21% BBDC4 R$ 17,92 -0,94% IBOVESPA 98.672,26 pts +0,60% ABEV3 R$ 13,67 +2,48% VALE3 R$ 74,62 +3,21% GGBR4 R$ 23,15 +4,40% PETR4 R$ 26,29 -0,60%
Delay: 15 min
Mercado

Rede D’Or estreia na B3 valendo R$ 112,5 bilhões no 3º maior IPO do País

A companhia deverá utilizar boa parte do capital para dar continuidade ao movimento de aquisições

Rede D’Or estreia na B3 valendo R$ 112,5 bilhões no 3º maior IPO do País
(Foto: Ricardo Moraes/Reuters)
  • As ações da companhia, listada na B3 sob o código RDOR3, foram precificadas em R$ 57,92, um pouco acima do meio da faixa indicativa;
  • De acordo com fontes ouvidas pelo Estadão, as ações da Rede D’Or tiveram demanda alta, contando com aportes das principais gestoras brasileiras. No fluxo de capital estrangeiro, entraram na oferta a americana Capital Group, além do fundo de George Soros;
  • A empresa já vinha em um forte movimento de aquisições - foram 37 nos últimos anos - e boa parte do capital recém adquirido, R$ 8,44 bilhões, será para este fim. Os R$ 2,95 bilhões restantes seguirão para os acionistas vendedores.

Maior cadeia de hospitais privados do Brasil, a Rede D’Or realizou a terceira maior oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) na história da Bolsa Brasileira, com captação de R$ 11,39 bilhões. Com o feito, a empresa atingiu valor de mercado de R$ 112,5 bilhões. As ações da companhia, listada na B3 sob o código RDOR3, foram precificadas em R$ 57,92, um pouco acima do meio da faixa indicativa.

Apenas Santander Brasil (SANB11), em 2009, e BB Seguridade (BBSE3), em 2013, tiveram movimentações superiores em seus IPOs, com captação de R$ 13,2 bilhões e R$ 11,4 bilhões, respectivamente.

De acordo com fontes ouvidas pelo Estadão, as ações da Rede D’Or tiveram demanda alta, contando com aportes das principais gestoras brasileiras. No fluxo de capital estrangeiro, entraram na oferta a americana Capital Group, além do fundo de George Soros.

A empresa já vinha em um forte movimento de aquisições – foram 37 nos últimos anos – e boa parte do capital recém adquirido, R$ 8,44 bilhões, será para este fim. Os R$ 2,95 bilhões restantes seguirão para os acionistas vendedores, que são o fundo de private equity Carlyle, o fundo soberano de Cingapura (GIC) e o BTG Pactual.

A oferta teve coordenação de Bank of America (líder), BTG Pactual, JP Morgan, Bradesco BBI, XP, BB, Citi, Credit Suisse, Safra e Santander.

Atualmente, a companhia possui 51 hospitais próprios, além de mais de 32 projetos de hospitais que estão em diferentes estágios de desenvolvimento no Brasil. A empresa também mantém operação de uma rede clínicas oncológicas e de análises.

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos