EURO R$ 6,34 -0,05% DÓLAR R$ 5,37 +0,05% BBDC4 R$ 21,19 -0,05% MGLU3 R$ 80,60 +0,19% ITUB4 R$ 24,50 +0,00% ABEV3 R$ 13,20 -0,08% IBOVESPA 100.460,60 pts -1,62% GGBR4 R$ 17,83 -0,17% PETR4 R$ 22,71 -0,57% VALE3 R$ 60,60 +0,41%
EURO R$ 6,34 -0,05% DÓLAR R$ 5,37 +0,05% BBDC4 R$ 21,19 -0,05% MGLU3 R$ 80,60 +0,19% ITUB4 R$ 24,50 +0,00% ABEV3 R$ 13,20 -0,08% IBOVESPA 100.460,60 pts -1,62% GGBR4 R$ 17,83 -0,17% PETR4 R$ 22,71 -0,57% VALE3 R$ 60,60 +0,41%
Delay: 15 min
Negócios

Com Photoshop e vendas falsas, empresa enganou Warren Buffett em negócio de 800 milhões de euros

Wilhelm Schulz era uma promissora fabricante de tubos para a indústria de gás e petróleo da Alemanha

Warren Buffett, Berkshire Hathaway
Warren Buffett mantém a confiança e o desejo de fazer negócios com empresas alemãs mesmo após o problema com a Wilhelm Schultz. (Rick Wilking/ Reuters)
  • Wilhelm Schulz falsificou faturas, recibos e vendas com data retroativa para transmitir saúde financeira
  • Empresa evitou a falência semanas antes de começar a negociar com subsidiária do Berkshire
  • Funcionário de TI revelou fraude ao Berkshire, que conseguiu na Justiça o direito a receber de volta 643 milhões de euros

(The New York Times News Service) – Apenas algumas semanas depois que a Berkshire Hathaway comprou o que parecia ser um exemplo notável das proezas da engenharia alemã, um gerente do império corporativo amplamente admirado de Warren Buffett recebeu um e-mail inquietante.

“Eu tenho que me livrar de algo que testemunhei nos últimos meses”, escreveu o autor anônimo em inglês um pouco estranho. “Há uma falsificação de dados em andamento.”

A dica do denunciante levou à exposição de uma elaborada conspiração envolvendo faturas de vendas falsas, clientes fantasmas e sistemas de computadores invadidos, de acordo com testemunhos em uma disputa legal. O caso mostrou que mesmo Buffett, um dos investidores mais espertos do mundo, pode ser enganado.

Buffett pagou 800 milhões de euros por empresa que valia 20% disso

O que parecia um fabricante alemão lucrativo de tubos especializados para a indústria de petróleo e gás estava, de fato, à beira da falência, de acordo com testemunhos. Como resultado, de acordo com as conclusões de um painel de arbitragem americano, a Precision Castparts, uma subsidiária da Berkshire Hathaway, pagou 800 milhões de euros (US$ 870 milhões) por uma empresa que valia apenas um quinto desse preço.

A aquisição da empresa, Wilhelm Schulz, foi um passo em falso caro para a holding de Buffett, que também foi afetada pela pandemia. No início de maio, a Berkshire Hathaway registrou uma perda de quase US$ 50 bilhões no primeiro trimestre devido a bloqueios e a desaceleração econômica afetou o portfólio de companhias aéreas e empresas financeiras da empresa.

O caso também mostra o mito da Mittelstand das empresas de médio porte que sustentam a economia alemã. Os promotores alemães abriram uma investigação criminal focando oito suspeitos na Wilhelm Schulz, todos ex-executivos de alto escalão, autoridades financeiras ou especialistas em tecnologia da informação. Nenhum foi acusado formalmente.

A investigação foi relatada anteriormente pelo jornal Handelsblatt.

Executivos esconderam a condição financeira da empresa

As circunstâncias que permitiram que a organização de Buffett fosse enganada por um fabricante alemão pouco conhecido foram detalhadas pelo painel de arbitragem que considerou uma queixa apresentada pela Precision Castparts, sediada em Portland, Oregon. O tribunal constatou que os executivos e funcionários de Wilhelm Schulz haviam “se envolvido em um esquema generalizado” para ocultar a terrível condição financeira da empresa, para que a Precision Castparts prosseguisse com a aquisição.

“Este não é um caso encerrado”, concluiu o tribunal. “As evidências apontam fortemente para fraude, e há pouco no registro para sugerir o contrário.”

Advogados que representam interesses dos vendedores, três holdings alemãs pertencentes principalmente a membros da família Schulz, negam irregularidades e pediram ao Tribunal Distrital dos EUA o Distrito Sul de Nova York para rejeitar a decisão dos árbitros.

Wilhelm Schulz era sólida fabricante de tubos para a indústria de petróleo e gás

Aparentemente, Wilhelm Schulz parecia o tipo de empresa industrial sólida que fez da Alemanha uma potência de exportação. Sediada em Krefeld, norte de Düsseldorf, no coração industrial da Alemanha, a Schulz parecia ter uma forte posição em seu nicho de mercado: tubos especializados para a indústria de petróleo e gás.

O executivo-chefe, Wolfgang Schulz, era filho de Wilhelm Schulz, que colocou seu nome na empresa quando a fundou, apenas alguns meses após o final da Segunda Guerra Mundial. Wolfgang Schulz era conhecido localmente como o proprietário de um time profissional de hóquei no gelo, o Krefeld Penguins. Schulz negou irregularidades e prometeu limpar seu nome.

Negociação de compra começou em 2016

A Precision Castparts começou a pensar em adquirir Wilhelm Schulz depois de ser abordada por um intermediário em 2016.

A Berkshire Hathaway havia adquirido a Precision Castparts apenas alguns meses antes por US $ 37 bilhões, a maior aquisição de Buffett de todos os tempos. Embora mais conhecida por suas peças de aeronaves, a Precision Castparts também fabrica produtos para a produção de petróleo e gás, um setor que estava sofrendo antes mesmo da pandemia, causando a queda dos preços dos combustíveis.

Wilhelm Schulz parecia uma maneira da Precision Castparts aumentar sua presença no exterior e uma rara oportunidade de comprar uma empresa alemã. Muitos fabricantes alemães de médio porte pertencem a famílias que são relutantes em vender.

Willhelm Schulz escapou da falência pouco antes de começar a negociar a venda

A Precision Castparts enviou funcionários para Krefeld, onde passaram seis meses examinando os registros financeiros de Wilhelm Schulz. Eles examinaram as listas dos maiores clientes, entrevistaram funcionários da Schulz e visitaram as instalações da Schulz.

Mas, sem o conhecimento da Precision Castparts, Schulz havia evitado a falência por poucas semanas. A empresa não conseguiu fazer pagamentos com uma linha de crédito de 325 milhões de euros do Commerzbank, de acordo com o relatório dos árbitros. Um advogado contratado por Schulz havia informado a empresa de que era obrigada pela lei alemã a pedir insolvência.

Schulz evitou esse destino apenas porque persuadiu o Commerzbank a liberar mais 8 milhões de euros, dizendo que estava aguardando o pagamento de um grande cliente. O empréstimo-ponte veio com uma condição. Se Schulz não pudesse pagar, o Commerzbank assumiria efetivamente o controle da empresa.

Documentação apresentada à Precision foi fraudada no Photoshop

Schulz também estava levantando recursos vendendo créditos a receber de seus clientes, uma prática comum conhecida como factoring. Mas parte da documentação que Schulz apresentou ao credor (e posteriormente revisada pela Precision Castparts antes da compra) foi fabricada usando o software de tratamento de imagens Photoshop para criar faturas falsas e recibos de entrega, descobriram os árbitros.

Como os auditores da Precision Castparts poderiam ignorar esses problemas flagrantes? Um episódio descrito no relatório dos árbitros ilustra como os funcionários da Schulz fizeram a empresa parecer mais saudável do que era.

Em outubro de 2016, enquanto a Precision Castparts estava analisando os registros financeiros da Schulz, um funcionário da Schulz projetou uma interrupção de cinco dias no sistema de computador usado para rastrear vendas e pedidos. Uma equipe da Schulz explorou o tempo de inatividade para fabricar quase 50 pedidos, no valor de dezenas de milhões de euros, que foram atrasados ​​para parecer que haviam sido colocados em 2014 e 2015, de acordo com o relatório dos árbitros.

Os pedidos foram registrados de empresas com as quais Schulz não fazia mais negócios, de acordo com testemunhos. Um suposto cliente havia efetivamente deixado de existir anos antes.

O acordo foi fechado em fevereiro de 2017 e as notícias foram relatadas no Bloomberg News e no Wall Street Journal. O Handelsblatt noticiou: “Warren Buffett ataca novamente na Alemanha”.

O e-mail do denunciante chegou no início de março.

Informante era da equipe de TI da Schultz

O informante, posteriormente identificado no relatório dos árbitros como alguém que trabalhava em tecnologia da informação na Schulz, escreveu que uma pequena equipe de colegas de trabalho estava inserindo pedidos falsos de clientes no sistema de computadores da empresa para “fazer nossa empresa parecer muito melhor do que realmente estão.”

“Considero isso um ato criminoso e não quero trabalhar para uma empresa que usa esses métodos por mais tempo”, disse o e-mail.

Alarmada, a Precision Castparts contratou consultores especializados em fraudes contábeis, além de seus próprios controladores financeiros.

Após meses de escrutínio, um investigador descobriu as faturas de computadores desatualizadas. Outro aprendeu com os funcionários da Schulz não envolvidos na fraude que as empresas que deveriam estar entre os maiores clientes da empresa não eram clientes. Os auditores encontraram e-mails nos quais os funcionários da Schulz pareciam estar discutindo como aumentar artificialmente as vendas.

Em 2018, na tentativa de recuperar parte de seu dinheiro, a Precision Castparts invocou uma cláusula do contrato de venda que exigia que as disputas fossem resolvidas pelos árbitros.

Fraude aumentou lucro da empresa em 160 milhões de euros

Em abril, um tribunal em Nova York constatou que Wolfgang Schulz e seus funcionários haviam “se envolvido em um esforço generalizado para apresentar uma imagem fundamentalmente enganosa da condição financeira” da empresa. Um especialista que testemunhou concluiu que transações falsas aumentaram os lucros de Wilhelm Schulz em 160 milhões de euros.

Através de um porta-voz, Schulz, 73 anos, se recusou a responder às acusações em detalhes, citando a continuação da investigação criminal. No ano passado, as autoridades alemãs revistaram sua casa. Schulz disse através de um porta-voz que “claramente rejeita as acusações de fraude”.

Schultz alega que valia 800 milhões de euros. Desvalorização seria culpa da Precision

Seus advogados argumentam que a Wilhelm Schulz valeu os 800 milhões de euros que a Precision Castparts pagou por isso. Qualquer perda de valor foi causada pela má administração desde a aquisição, incluindo a decisão de demitir todos os principais executivos após a descoberta de irregularidades, dizem eles.

A Precision Castparts “continua a usar agressivamente a marca Schulz no mercado, mesmo que exija retorno do preço de compra”, afirmou a Schulz Holding em comunicado.

A Precision Castparts tem prevalecido na batalha legal até agora. O tribunal arbitral concedeu à empresa 643 milhões de euros em danos ao preço de compra menos o valor real estimado de 157 milhões de euros de Wilhelm Schulz.

É duvidoso que a Precision Castparts consiga receber o dinheiro. As três holdings que venderam suas ações na Wilhelm Schulz declararam insolvência. Wolfgang Schulz vendeu quase toda a sua participação nos Krefeld Penguins em abril por um preço não revelado. Jan-Philipp Hoos, advogado de Düsseldorf que atua como administrador de falências das holdings, se recusou a comentar.

Warren Buffett segue admirador da indústria alemã

O impacto financeiro ocorre em um momento especialmente ruim para a Precision Castparts. Seus principais clientes, fabricantes de aviões como a Boeing e produtores de petróleo e gás, foram duramente atingidos pelos efeitos econômicos da pandemia.

Mas Wilhelm Schulz não parece ter abalado a fé de Buffett na Alemanha, um país cuja engenharia ele elogiou com frequência.

“Vemos isso como uma situação única, envolvendo circunstâncias individuais”, disse David Dugan, porta-voz da Precision Castparts, em um e-mail. A experiência com Wilhelm Schulz, disse ele, “não afeta nossa visão da indústria alemã”.

Invista com o apoio de conteúdos exclusivos e diários. Cadastre-se na Ágora Investimentos
EURO R$ 6,34 -0,05% DÓLAR R$ 5,37 +0,05% BBDC4 R$ 21,19 -0,05% MGLU3 R$ 80,60 +0,19% ITUB4 R$ 24,50 +0,00% ABEV3 R$ 13,20 -0,08% IBOVESPA 100.460,60 pts -1,62% GGBR4 R$ 17,83 -0,17% PETR4 R$ 22,71 -0,57% VALE3 R$ 60,60 +0,41%
EURO R$ 6,34 -0,05% DÓLAR R$ 5,37 +0,05% BBDC4 R$ 21,19 -0,05% MGLU3 R$ 80,60 +0,19% ITUB4 R$ 24,50 +0,00% ABEV3 R$ 13,20 -0,08% IBOVESPA 100.460,60 pts -1,62% GGBR4 R$ 17,83 -0,17% PETR4 R$ 22,71 -0,57% VALE3 R$ 60,60 +0,41%
Delay: 15 min

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos