EURO R$ 6,23 +0,03% DÓLAR R$ 5,30 +0,00% MGLU3 R$ 15,87 -3,30% ITUB4 R$ 28,71 +3,75% ABEV3 R$ 15,88 +0,51% GGBR4 R$ 27,00 +5,83% BBDC4 R$ 20,72 +4,59% IBOVESPA 114.064,36 pts +1,59% VALE3 R$ 78,91 -0,35% PETR4 R$ 26,84 +4,06%
EURO R$ 6,23 +0,03% DÓLAR R$ 5,30 +0,00% MGLU3 R$ 15,87 -3,30% ITUB4 R$ 28,71 +3,75% ABEV3 R$ 15,88 +0,51% GGBR4 R$ 27,00 +5,83% BBDC4 R$ 20,72 +4,59% IBOVESPA 114.064,36 pts +1,59% VALE3 R$ 78,91 -0,35% PETR4 R$ 26,84 +4,06%
Delay: 15 min
Últimas notícias

Bolsas da Europa sobem após dados de confiança

Ambiente ainda é de cautela diante da rápida disseminação da variante delta do coronavírus pelo mundo

(Estadão Conteúdo) – As bolsas europeias operam majoritariamente em alta na manhã desta terça-feira, na esteira de dados encorajadores de confiança da zona do euro, mas o ambiente é de cautela diante da rápida disseminação da variante delta do coronavírus pelo mundo.

Às 6h56 (de Brasília), o índice pan-europeu Stoxx 600 avançava 0,31%, a 456,36 pontos. A Bolsa de Londres subia 0,11%, a de Frankfurt avançava 0,84% e a de Paris se valorizava 0,30%. Já a de Milão tinha ganho de 0,29%, mas as de Madri e Lisboa caíam 0,10% e 0,25%, respectivamente.

No câmbio, o euro recuava a US$ 1,1909, de US$ 1,1928 no fim da tarde de ontem, enquanto a libra se enfraquecia a US$ 1,3856, de US$ 1,3877 ontem.

O chamado índice de sentimento econômico da zona do euro, que mede a confiança de setores corporativos e dos consumidores, avançou para 117,9 pontos em junho, superando expectativas e atingindo o maior patamar em 21 anos, segundo pesquisa da Comissão Europeia, braço executivo da União Europeia (UE).

Apesar da recuperação da confiança, investidores na Europa monitoram de perto os desdobramentos da variante delta do coronavírus, que teve origem na Índia e já se espalhou para mais de 80 países, causando mortes inclusive no Brasil. O temor é que a cepa impeça a retirada de medidas de restrição, comprometendo a perspectiva de recuperação da economia global.

Nas próximas horas, a atenção vai se voltar para dados preliminares de inflação da Alemanha, assim como para comentários de dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), que, em sua última decisão de política monetária, sinalizou que poderá reduzir estímulos antes do que se previa. Além disso, a presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, e outras autoridades da UE participam hoje do Fórum Econômico de Bruxelas.

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos