EURO R$ 5,54 -0,02% MGLU3 R$ 2,43 -0,40% ITUB4 R$ 23,58 +0,98% BBDC4 R$ 18,17 +1,79% IBOVESPA 100.763,60 pts +2,12% DÓLAR R$ 5,24 +0,00% GGBR4 R$ 23,50 +1,94% VALE3 R$ 78,05 +5,19% PETR4 R$ 27,98 +6,96% ABEV3 R$ 13,72 +0,95%
EURO R$ 5,54 -0,02% MGLU3 R$ 2,43 -0,40% ITUB4 R$ 23,58 +0,98% BBDC4 R$ 18,17 +1,79% IBOVESPA 100.763,60 pts +2,12% DÓLAR R$ 5,24 +0,00% GGBR4 R$ 23,50 +1,94% VALE3 R$ 78,05 +5,19% PETR4 R$ 27,98 +6,96% ABEV3 R$ 13,72 +0,95%
Delay: 15 min
Últimas notícias

Câmbio: Dólar sobe com cautela em NY

  • Às 9h40, o dólar à vista subia 0,65%, a R$ 5,7790

(Estadão Conteúdo) – O dólar se mantém em alta no mercado doméstico, após subir 1,25% na sexta e acumular ganho de 4,67%4 na última semana. O ajuste para cima reflete um dólar forte ante divisas emergentes e ligadas a commodities no exterior e fatores locais.

A queda dos juros dos Treasuries ajuda apoiar a valorização da divisa dos EUA em meio a temores de quebra de bancos, que minam os futuros de Nova York. Entre eles, desconforto com a crise sanitária causada pela covid-19 e a demora do governo federal em adotar medidas de combate à pandemia, aumento da pressão pela demissão do ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, por sua má gestão diplomática, sobretudo em relação à pandemia, e cautela com a questão fiscal, após aprovação do Orçamento de 2021 com manobras contábeis, que podem extrapolar o teto de gastos, afirmam operadores do mercado.

A Instituição Fiscal Independente (IFI) calcula que o teto de gastos permitiria despesa discricionária no Orçamento de até R$ 107,2 bi em 2021, mas está em R$ 139,1 bilhões. Às 9h40, o dólar à vista subia 0,65%, a R$ 5,7790. O dólar futuro de abril ganhava 0,34%, a R$ 5,7785.

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos