DÓLAR R$ 5,17 -0,15% BBDC4 R$ 18,50 +1,09% MGLU3 R$ 3,16 -5,39% ITUB4 R$ 24,93 +1,80% EURO R$ 5,27 -1,39% IBOVESPA 106.471,92 pts +0,55% PETR4 R$ 34,87 +2,02% GGBR4 R$ 24,65 +2,03% ABEV3 R$ 14,60 -0,82% VALE3 R$ 68,00 +1,22%
DÓLAR R$ 5,17 -0,15% BBDC4 R$ 18,50 +1,09% MGLU3 R$ 3,16 -5,39% ITUB4 R$ 24,93 +1,80% EURO R$ 5,27 -1,39% IBOVESPA 106.471,92 pts +0,55% PETR4 R$ 34,87 +2,02% GGBR4 R$ 24,65 +2,03% ABEV3 R$ 14,60 -0,82% VALE3 R$ 68,00 +1,22%
Delay: 15 min
Últimas notícias

Metais: ouro mantém escalada e volta a renovar máxima histórica

(Estadão Conteúdo) – Como vem acontecendo sucessivamente, o ouro voltou a encerrar a sessão em alta nesta quarta-feira (05), renovando mais uma vez sua máxima histórica.

O quadro global incerto e o baixo rendimento dos títulos públicos americanos têm apoiado a escalada do metal precioso, que hoje recebeu ajuda adicional do dólar fraco no exterior. Na Comex, divisão para metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro para dezembro fechou em alta de 1,40%, a US$ 2.049,30 por onça-troy. Ao longo do dia, bateu na máxima de US$ 2.070,3 por onça-troy.

Nem mesmo o apetite por risco verificado no exterior durante os negócios de hoje, bastante amparado pela percepção de que há uma recuperação econômica global em curso após o choque da pandemia de covid,-19, foi capaz de conter a demanda por ouro, considerado um investimento para momentos de cautela.

Se houve demanda de ativos considerados arriscados, a segurança do metal precioso continuou procurada, já que ainda há muita incerteza no mercado diante da crise do novo coronavírus e seus impactos sobre a atividade global.

Invista com o apoio de conteúdos exclusivos e diários. Cadastre-se na Ágora Investimentos