Publicidade

Últimas notícias

CVM abre mais 4 processos para investigar Americanas e inclui KPMG

A KPMG e PwC foram responsáveis por apurar os balanços da empresa nos últimos anos

CVM abre mais 4 processos para investigar Americanas e inclui KPMG
Fachada Americanas Express. Crédito: Sérgio Moraes/Reuters

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) anunciou na noite desta quarta-feira (8) que realizou a abertura de mais quatro processos administrativos relacionados ao caso Americanas (AMER3).

Dois deles estão relacionados a denúncias recebidas pelo órgão, enquanto os outros dois pretendem investigar as auditorias KPMG e PwC, responsáveis por apurar os balanços da empresa nos últimos anos.

Confira os novos processos:

  • Processo Administrativo CVM nº 19957.001119/2023-23: aberto em 31 de janeiro para apurar reclamação recebida nos canais de atendimento do órgão.
  • Processo Administrativo CVM nº 19957.001120/2023-58: aberto em 31 de janeiro para apurar reclamação recebida nos canais de atendimento do órgão.
  • Processo Administrativo CVM nº 19957.001192/2023-03: aberto em 2 de fevereiro para apurar eventuais irregularidades na atuação da KPMG, em relação aos exercícios de 2017 e 2018.
  • Processo Administrativo CVM nº 19957.001194/2023-94: aberto, em 2 de fevereiro, para apurar eventuais irregularidades na atuação da PwC em relação aos exercícios de 2019, 2020, 2021 e 2022.

A CVM já havia aberto outros oito processos administrativos em relação ao caso Americanas. Relembre:

  • Processo Administrativo CVM nº 19957.000413/2023-18: aberto em 12 de janeiro para apurar possíveis irregularidades em informações contábeis.
  • Processo Administrativo CVM nº 19957.000415/2023-15: aberto em 12 de janeiro para apurar possíveis irregularidades na divulgação de notícias, fatos relevantes e comunicados.
  • Processo Administrativo CVM nº 19957.000425/2023-42: aberto em 12 de janeiro para apurar possíveis irregularidades nas negociações dos ativos emitidos pela companhia. Tramita em sigilo.
  • Processo Administrativo CVM nº 19957.000452/2023-15: aberto, em 13 de janeiro, para apurar denúncia recebida da Associação Brasileira de Investidores (Abradin).
  • Processo Administrativo CVM nº 19957.000491/2023-12: aberto, em 16 de janeiro, para analisar a conduta da companhia, acionistas de referência e administradores em relação à divulgação do pedido de tutela cautelar e às informações divulgadas até então sobre as falhas contábeis. Também apura a decisão da companhia de solicitar pedido de recuperação judicial com créditos estimados em R$ 43 bilhões.
  • Processo Administrativo CVM nº 19957.000530/2023-81: aberto, em 16 de janeiro, para tratar da atuação de intermediários que atuavam como coordenadores líderes em ofertas públicas de distribuição de valores mobiliários emitidos pela companhia. Tramita em sigilo.
  • Processo Administrativo CVM nº 19957.000546/2023-94: aberto, em 17 de janeiro, para apurar a atuação das agências de classificação de risco de crédito quanto às emissões que envolvem Americanas como devedora ou coobrigada. Tramita em sigilo.
  • Processo Administrativo CVM nº 19957.000759/2023-16: aberto, em 22 de janeiro, para apurar reclamação recebida nos canais de atendimento do órgão.

No dia 27 de janeiro, a CVM abriu ainda inquéritos administrativos que representam desdobramentos de dois processos administrativos.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Um dos inquéritos, o de número 19957.000946/2023-08, foi instaurado para apurar possível uso de informação privilegiada (insider trading), sendo um desdobramento do processo de número 19957.000425/2023-42, aberto pela CVM em 12 de janeiro para investigar possíveis irregularidades nas negociações com ativos emitidos pela companhia.

Já o inquérito administrativo de número 19957.000952/2023-57, desdobramento do processo de número 19957.000413/2023-18, apura eventuais erros relacionados às inconsistências contábeis divulgadas pela Americanas no dia 11 de janeiro. Na data, a empresa afirmou ter detectado um rombo na ordem de R$ 20 bilhões em seus balanços.

Web Stories

Ver tudo
<
>