Tempo Real

Cobre fecha em baixa moderada, de olho em covid e economia da China

Ontem, metais industriais sofreram forte queda em meio aos temores pelo surto de coronavírus na China.

Cobre fecha em baixa moderada, de olho em covid e economia da China
Foto: Pixabay

O cobre fechou em baixa moderada nesta terça-feira, observando potenciais impactos do novo surto de covid-19 na China sobre a demanda e a oferta de metais industriais. Dados econômicos positivos do país, no entanto, contrapuseram as preocupações quanto à onda mais recente de casos da doença, enquanto a guerra na Ucrânia segue no panorama.

Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre com entrega prevista para maio fechou em baixa de 0,22%, a US$ 4,5130 por libra-peso. Na London Metal Exchange (LME), a tonelada do cobre para três meses recuava 0,08%, a US$ 9.879,50, por volta de 14h50 (de Brasília). Ontem, metais industriais sofreram forte queda em meio aos temores pelo surto de coronavírus na China.

Segundo o TD Securities, porém, a política agressiva do país para conter as infecções é historicamente bem sucedida e a demanda sofre apenas um recuo de curta duração. As quarentenas, porém, tendem a provocar um impacto maior e mais duradouro sobre o suprimento de alguns metais, alerta o banco. Em contrapartida à situação da crise sanitária, a China informou avanços robustos e bem acima do esperado nas vendas do varejo, produção industrial e investimentos em ativos fixos de janeiro e fevereiro.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

“Dados surpreendentemente bons da China estão tendo um efeito estabilizador” nos mercados de metais básicos, destaca o Commerzbank em relatório. O Julius Baer, porém, leva em conta o recente surto de covid-19, desaceleração do mercado imobiliário, fraca procura por crédito e o aumento dos riscos geopolíticos para avaliar que é incerto se a economia chinesa conseguirá sustentar o ímpeto demonstrado pelos indicadores.

O mercado ficou atento ainda à notícia de que a LME retomará as negociações de níquel no mercado futuro amanhã, mas com restrições, em uma tentativa de conter a crise instaurada pela disparada recente do metal e evitar um novo episódio similar.

Entre outros metais negociados na LME, no horário citado, a tonelada do alumínio tinha baixa de 0,81%, a US$ 3.288,00; a do chumbo recuava 0,35%, a US$ 2.260,00; a do estanho subia 0,38%, a U$S 43.190,00; e a do zinco cedia 0,37%, a US$ 3.795,00.