Últimas notícias

FGV: Confiança do consumidor sobe 4,1 pontos em agosto

O Índice de Expectativas (IE) subiu 6,0 pontos, para 92,6 pontos

FGV: Confiança do consumidor sobe 4,1 pontos em agosto
Consumidores fazem compras em rua comercial de São Paulo 21/12/2020 REUTERS/Amanda Perobelli

(Daniela Amorim, Estadão Conteúdo) – A confiança do consumidor subiu 4,1 pontos em agosto ante julho, na série com ajuste sazonal, informou há pouco a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) ficou em 83,6 pontos. Em médias móveis trimestrais, o índice avançou 2,7 pontos.

“A confiança dos consumidores em agosto volta a apresentar resultados positivos motivados pela melhora das expectativas em relação aos próximos meses. Existe uma visão mais favorável sobre o ambiente econômico no curto prazo, que pode estar sendo influenciado pela melhora do mercado de trabalho e desaceleração da inflação. Isso contribui para o aumento do ímpeto de compras, que ocorre de forma mais intensa para as classes de renda mais altas. Embora o cenário político ainda possa gerar turbulências nesse cenário nos próximos meses”, avaliou Viviane Seda Bittencourt, coordenadora das Sondagens do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.

Em agosto, o Índice de Situação Atual (ISA) cresceu 1,4 ponto, para 71,7 pontos. O Índice de Expectativas (IE) subiu 6,0 pontos, para 92,6 pontos.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

A satisfação dos consumidores sobre a situação econômica no momento atual avançou 1,9 ponto, para 79,8 pontos. A percepção sobre a situação financeira familiar variou 0,8 ponto, para 64,1 pontos, nível ainda baixo em termos históricos.

O ímpeto para compra de bens duráveis cresceu 11,3 pontos, para 79,0 pontos, maior nível desde dezembro de 2019, quando estava em 81,7 pontos. O quesito que mede a situação econômica nos próximos seis meses avançou 4,6 pontos, para 109,3 pontos, terceira alta consecutiva. Já o componente que mede as perspectivas sobre a situação financeira nos próximos meses teve uma elevação de 1,1 ponto, para 90,4 pontos.

A análise por faixa de renda mostrou melhora da confiança em todos os grupos de renda familiar. A alta foi mais branda entre as famílias mais pobres: 2,2 pontos em agosto ante julho, para 75,0 pontos. Entre os mais ricos, o aumento foi de 4,0 pontos, para 90,0 pontos.

A Sondagem do Consumidor coletou entrevistas entre os dias 1 e 22 de agosto.