Últimas notícias

Ibovespa hoje: índice dispara puxado por ações da Natura (NTCO3) e dados econômicos

Ata da reunião do Copom e Boletim Focus também orientam investidores nesta manhã

Ibovespa hoje: índice dispara puxado por ações da Natura (NTCO3) e dados econômicos
Painel da Bolsa de Valores. (Imagem: Adobe Stock)

O Ibovespa hoje opera em forte alta de 1,45%, aos 129.438,78 pontos. O avanço do principal índice da B3 nesta terça-feira (6) é influenciado pela divulgação da ata da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), as expectativas para a economia brasileira, trazidas pelo Boletim Focus e pelo anúncio de estímulos vindos da China nesta manhã.

As ações da Natura (NTCO3) eram as que mais se valorizavam na Bolsa, às 11h25, subindo 6,10% e negociadas a R$ 17,04. Já os papéis da Embraer (EMBR3) caíam 0,57%, vendidas a R$ 22,57, e registravam a maior desvalorização do Ibovespa.

No documento divulgado pelo Copom, o colegiado avaliou que houve progresso desinflacionário relevante, como esperado. Salientou, no entanto, que o caminho é longo até a ancoragem das expectativas e o retorno da inflação à meta.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

A ata indicou ainda que a projeção para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2024 está em 3,5%, no horizonte para o cumprimento da meta inflacionária. A estimativa é igual à projeção do Copom anterior, em dezembro.

Ainda no âmbito interno, o Boletim Focus, do Banco Central (BC), trouxe expectativas para a taxa básica de juros, a Selic, bem como para o câmbio ao término de 2024. A projeção para a Selic se manteve inalterada, em 9% ao ano. A expectativa para o dólar se também ficou estável, em R$ 4,92.

No exterior, o governo chinês anunciou, mais cedo, uma série de estímulos no gigante asiático. A medida tem como objetivo impulsionar novas formas de consumo, como comércio eletrônico internacional, veículos de energia limpa e produtos chineses de luxo. Segundo o vice-ministro do país, a propriedade de carros chegou a 340 milhões na China — primeiro lugar no mundo.

Após seis pregões de quedas consecutivas, as bolsas chinesas registraram fortes ganhos, com as notícias de que o regulador de mercado chinês encorajou empresas a conduzir recompras de ações, a declarar dividendos e a tomar outras iniciativas para impulsionar seu valor.

*Com informações do Broadcast

Publicidade