DÓLAR R$ 5,23 +0,00% MGLU3 R$ 19,79 +1,70% BBDC4 R$ 24,07 +0,46% EURO R$ 6,37 +0,00% ITUB4 R$ 27,65 +1,28% IBOVESPA 122.038,11 pts +1,77% PETR4 R$ 24,29 +3,36% ABEV3 R$ 16,26 +0,49% GGBR4 R$ 36,40 +1,05% VALE3 R$ 115,49 +0,38%
DÓLAR R$ 5,23 +0,00% MGLU3 R$ 19,79 +1,70% BBDC4 R$ 24,07 +0,46% EURO R$ 6,37 +0,00% ITUB4 R$ 27,65 +1,28% IBOVESPA 122.038,11 pts +1,77% PETR4 R$ 24,29 +3,36% ABEV3 R$ 16,26 +0,49% GGBR4 R$ 36,40 +1,05% VALE3 R$ 115,49 +0,38%
Delay: 15 min
Últimas notícias

Mastercard/Paro Neto: Ainda é cedo para comparar Pix com cartões

  • Na avaliação de Paro Neto, todas essas comparações indicam comportamentos diferentes por parte do consumidor

(Estadão Conteúdo) – O presidente da Mastercard Brasil e Cone Sul, João Pedro Paro Neto, afirmou há pouco que ainda é cedo para comparar os resultados do Pix com os do mercado de cartões e identificar os efeitos do novo meio de pagamentos instantâneos. Destacou, contudo, que as primeiras semanas do Pix mostram comportamentos e tipos de consumo diferentes.

“Temos 60 milhões de transações por dia em média em cartões, enquanto o Pix está em cerca de 4 milhões. É uma diferença muito grande. Além disso, o Pix é mais usado em dias da semana, enquanto os cartões são mais fortes no sábado e domingo. O ticket médio do Pix é alto (cerca de R$ 900), enquanto em cartões é de R$ 80”, comparou o executivo.

Na avaliação de Paro Neto, todas essas comparações indicam comportamentos diferentes por parte do consumidor. “É possível que lá na frente fiquem mais semelhantes, mas ainda é cedo para saber, vamos aguardar. O importante é que o Pix ajuda a combater o uso do dinheiro em espécie”, destacou.

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos