Tempo Real

Cobre fecha em queda, com perspectivas de correção e China no radar

A sessão desta quarta-feira (8) foi marcada pela ausência de desdobramentos relevantes para o mercado

Cobre fecha em queda, com perspectivas de correção e China no radar
(Foto: Envato Elements)

Os contratos mais líquidos do cobre fecharam em baixa nesta terça-feira (8), no que é visto como uma correção nos preços após as consecutivas altas nas cotações do metal. Na ausência de novos desdobramentos relevantes para o mercado, analistas acreditam que o processo por ter continuidade.

O cobre para julho fechou em queda de 1,37%, a US$ 4,5425 a libra-peso, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex). Na London Metal Exchange (LME), o cobre para três meses caia 1,17% por volta das 14h00 (de Brasília), a US$ 9.892,50 a tonelada.

O cobre deve seguir uma correção, a menos que a China revele medidas de estímulo sustentadas ou que suas fundições reduzam a produção, diz o ING. O metal subiu 19% nos últimos três meses devido a preocupações com o aperto na oferta global de minas e com a demanda mais forte do setor de energia verde, afirmam analistas do ING, em nota.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

No entanto, a crise prolongada no mercado imobiliário da China não parece ter atingido o seu ponto mais baixo, com a conclusão de habitações – normalmente um bom indicador da procura de cobre – caindo mais de 20% em termos anuais, afirma o banco. Os estoques chineses de cobre também estão elevados, já que a alta temporada para a demanda local continua decepcionando, enquanto a produção refinada de fundição está caminhando para um recorde, afirma o ING.

Entre outros metais negociados na LME, no horário acima, a tonelada do alumínio operava em baixa de 0,99%, a US$ 2.543,00; a do chumbo caia 0,58%, a US$ 2.230,50; a do níquel recuava 1,15%, a US$ 18.880,00; a do estanho tinha baixa de 1,50%, a US$ 32.110,00; e a do zinco caia 1,22%, a US$ 2.907,00.

Com informações Dow Jones Newswires