Tempo Real

Metais: cobre fecha em queda, com dólar forte e piora do sentimento de risco

O cobre para março fechou em queda de 2,89%, em US$ 3,7630 a libra-peso, na Comex

Metais: cobre fecha em queda, com dólar forte e piora do sentimento de risco
Cabos de cobre curvos de gordura dobrados. Foto: Envato Elemets

Os contratos futuros de cobre fecharam em queda nesta quinta-feira (15), pressionados pelo dólar forte, que foi impulsionado pela piora do sentimento de risco, em meio às sinalizações de bancos centrais dos dois lados do Atlântico de que continuarão elevando juros nos próximos meses.

O cobre para março fechou em queda de 2,89%, em US$ 3,7630 a libra-peso, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex). Na London Metal Exchange (LME), o cobre para três meses caía 2,78%, a US$ 8.285,00 a tonelada, por volta de 15h05 (de Brasília).

Tanto o Banco da Inglaterra (BoE) quando o Banco Central Europeu (BCE) desaceleraram o ritmo de aperto monetário e elevaram juros em 0,5 ponto porcentual nesta quinta-feira. No entanto, ambos os bancos centrais sinalizaram que continuarão elevando juros nos próximos meses e seguiram o mesmo caminho traçado pelo Fed, que, apesar de ter arrefecido o ritmo de aperto, aumentou ontem as projeções para as taxas dos Fed Funds e para a inflação, nos próximos anos. Tal cenário favoreceu o dólar, e, consequentemente, pressionou a maioria das commodities.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Por outro lado, analistas da ANZ Research comentam que consideram a dinâmica de oferta e demanda do cobre favorável. “A reabertura da China está gerando esperanças de uma demanda mais forte em um futuro não muito distante”, dizem. Porém, eles ressaltam que as preocupações com o abastecimento também estão aumentando, já que os protestos políticos do Peru ameaçam interromper a produção e o armazenamento de cobre. O país é o maior produtor do metal básico.

Entre outros metais negociados na LME, no horário citado a tonelada do alumínio caía 2,63%, a 2.387,50; a do chumbo recuava 1,38%, a US$ 2.146,50; a do níquel avançava 0,92%, a US$ 28.640,00; a do estanho tinha queda de 3,79%, a US$ 23.450,00; e a do zinco cedia 3,07%, a US$ 3.158,50.

*Com informações Dow Jones Newswires.

Web Stories

Ver tudo
<
Novo aumento da gasolina? Entenda porque Petrobras pode mexer de novo no preço dos combustíveis
Bancos digitais: confira 5 contas que melhor pagam seus clientes
O que é BPC? Por que governo quer fazer pente-fino neste benefício social?
Mega-Sena: como aumentar minhas chances de vencer?
Mega Millions: como os brasileiros podem apostar?
Como identificar as notas antigas do real que saíram de circulação?
Quanto tempo dura a pensão por morte na união estável?
Saque-aniversário do FGTS: até quando nascidos em julho podem sacar o benefício?
MEI: últimos dias para aderir ao DET e evitar multas; veja como fazer
Quer investir em IA? Conheça o novo ETF que segue Nvidia e AMD
Não deixe na gaveta: notas antigas de Real saem de circulação; o que fazer?
Quem tem união estável tem direito à pensão por morte?
>