DÓLAR R$ 5,70 +0,23% ITUB4 R$ 26,88 +0,90% EURO R$ 6,78 +0,31% MGLU3 R$ 21,78 +0,51% BBDC4 R$ 25,34 +0,56% PETR4 R$ 23,88 +0,97% ABEV3 R$ 15,50 +0,91% IBOVESPA 118.423,73 pts +0,64% GGBR4 R$ 31,06 -0,19% VALE3 R$ 103,41 +0,40%
DÓLAR R$ 5,70 +0,23% ITUB4 R$ 26,88 +0,90% EURO R$ 6,78 +0,31% MGLU3 R$ 21,78 +0,51% BBDC4 R$ 25,34 +0,56% PETR4 R$ 23,88 +0,97% ABEV3 R$ 15,50 +0,91% IBOVESPA 118.423,73 pts +0,64% GGBR4 R$ 31,06 -0,19% VALE3 R$ 103,41 +0,40%
Delay: 15 min
Minuto E-Investidor

O que é o 2 com 20 que muita gente fala?

Uma combinação muito comum no mercado financeiro é a tal 2 com 20.

Vira e mexe a discussão sobre ela volta, e muitos investidores ficam se perguntando de onde ela vem?

Dois com 20 é a taxa padrão cobrada pelos fundos de investimento.

O 2 equivale à taxa de administração, ou seja, a parcela que você paga para custear toda a estrutura de um fundo.

Lembra que uma vez falamos aqui no Minuto E-Investidor dessa taxa? É como o pagamento do condomínio, mas que serve para bancar os gestores, que escolhem os ativos; e também a parte burocrática envolvida, como registros e custos diversos.

Além dessa taxa obrigatória, tem a variável, que é o 20%.

Esse é o prêmio que o gestor ganha caso o fundo supere o seu benchmark, ou seja, o seu indicador de referência.

Pode ser o CDI, o dólar, o Ibovespa, a Inflação.… É o que consta na estratégia do fundo.

A maior reclamação desse 2 com 20 é sobre a justiça dessa combinação. Ela não seria prejudicial ao investidor em tempos de juros baixos?

Para responder, é preciso fazer uma separação muito simples para não comparar laranja com banana ou limão com melancia.

Fundos de investimento precisam ser transparentes com o investidor.

Isso significa deixar claro qual é o risco que ele está correndo para atingir as metas propostas.

Partindo desse princípio, um fundo multimercado, que pode variar os tipos e as quantidades de ativos, pode ter um custo mais alto porque está trabalhando para gerar ganhos maiores.

Sim, e também com maiores riscos. Mas lembre-se que mais retorno está diretamente ligado a um risco maior.

No entanto, fundos passivos devem seguir os seus indicadores de referência, pois têm um risco baixo. 

O retorno anda colado ao benchmark. No caso do CDI, a Taxa Selic, por exemplo.

Ao cobrar uma taxa de administração alta, como 2%, o fundo precisa ter um retorno maior, para entregar rentabilidade para o cotista; ou os custos de manutenção vão comer todo retorno conseguido.

Por isso, o tamanho da taxa de administração tem de ser proporcional ao objetivo do fundo – gestão ativa, taxa mais alta; gestão passiva, mais baixa. 

Esclarecido esse ponto, dá para falar da taxa de performance, mas esse é um assunto que deixo para um próximo dia.

Eu sou o Márcio Kroehn, editor-chefe do portal E-Investidor, e esse foi o Minuto E-Investidor de hoje.

Até o próximo.

 

Conteúdos e análises exclusivas para ajudar você a investir. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos