DÓLAR R$ 5,61 +0,00% BBDC4 R$ 20,27 -0,73% MGLU3 R$ 8,04 -0,25% ITUB4 R$ 22,66 -0,66% EURO R$ 6,34 +0,11% PETR4 R$ 29,47 +3,51% GGBR4 R$ 25,80 +0,98% ABEV3 R$ 16,34 -2,10% IBOVESPA 102.814,03 pts +0,58% VALE3 R$ 69,50 +1,25%
DÓLAR R$ 5,61 +0,00% BBDC4 R$ 20,27 -0,73% MGLU3 R$ 8,04 -0,25% ITUB4 R$ 22,66 -0,66% EURO R$ 6,34 +0,11% PETR4 R$ 29,47 +3,51% GGBR4 R$ 25,80 +0,98% ABEV3 R$ 16,34 -2,10% IBOVESPA 102.814,03 pts +0,58% VALE3 R$ 69,50 +1,25%
Delay: 15 min
Eduardo Mira, especialista em renda variável da Me Poupe! e colunista do E-Investidor (Foto; Divulgação)

Eduardo Mira é o especialista em renda variável da Me Poupe!. Professor e investidor há mais de 20 anos, é analista CNPI-T e especialista em finanças e investimentos, com pós-graduação em pedagogia empresarial, MBA em gestão de investimento e profissional ANBIMA CPA-10 e CPA-20. Também tem passagem por banco e corretora de investimentos.

Ele escreve mensalmente, às sextas-feiras.

Eduardo Mira

Renda variável: o que você precisa saber antes de começar a investir

Se eu pudesse te dar um único conselho sobre investimentos seria: diversifique

(Fonte: Pexels)
  • No longo prazo, as ações das boas empresas sempre irão se valorizar. Isso é fato, mas, não significa que não terão volatilidade
  • Nessa jornada, há uma série de aspectos que precisam ser levados em consideração
  • Por mais que um setor da economia lhe pareça atrativo e resiliente, jamais coloque todo o seu dinheiro apenas nele

Investir em renda variável é o melhor caminho para multiplicar patrimônio. Contudo, para fazer isso com segurança, você precisa saber algumas coisas básicas antes de começar.

Quando a bolsa está em alta, a sensação do investidor é de que não há nenhuma chance de que uma ação possa custar menos do que ele pagou por ela. Porém, esta é uma percepção ilusória.

No longo prazo, as ações das boas empresas sempre irão se valorizar. Isso é fato, mas não significa que não terão volatilidade. Antes de começar a investir em renda variável é imprescindível que você compreenda isso.

Depois de entender como é a dinâmica do mercado e estudar muito bem seu perfil para saber até onde consegue lidar com oscilações em sua carteira, você está pronto para começar a investir na bolsa de valores.

Nessa jornada, há uma série de aspectos que precisam ser levados em consideração. Mas se eu pudesse te dar um único conselho sobre investimentos seria: diversifique.

A diversificação é uma importante estratégia para amenizar perdas potenciais nos momentos de queda da bolsa. Por isso, é muito importante que você entenda o conceito e o coloque em prática o quanto antes.

O que é diversificação?

“A diversificação é sua amiga”. Esse é o mantra que repito para os meus alunos de renda variável do curso Minha Carteira Número 1.

Diversificação trata-se de uma estratégia de gestão de carteira que mescla diferentes classes de investimento visando maior retorno e também proteção.

1. Estude variados ativos

Por mais que um setor da economia lhe pareça atrativo e resiliente, jamais coloque todo o seu dinheiro apenas nele. Selecione as melhores empresas de mais de um setor e divida seus aportes entre elas.

2. Renda variável não é feita somente de ações

Além de uma carteira de ações, considere estudar também alguns ETFs e fundos imobiliários. O percentual de seu dinheiro em cada classe de ativos deve ser definido tendo por referência o quanto de rentabilidade você precisa ter na carteira como um todo para alcançar as metas que definiu.

3. Primeiro entenda o ativo, depois invista

Muito cuidado com a tentação de investir em algo simplesmente porque todo mundo está comentando ou porque alguém lhe disse que é bom.

Primeiro estude o ativo em que está interessado, entenda do que se trata, quais os riscos e oportunidades envolvidos.

Se for comprar uma ação de empresa, informe-se sobre o negócio em si. O que a empresa faz? A que setor da economia ela pertence? Como é o mercado dela? Quais as perspectivas desse mercado? Como é a gestão da empresa?

As informações estão sempre disponíveis nos sites de RI (relação com investidores) das empresas.

No caso de fundos imobiliários e ETFs leia a lâmina no fundo, conheça os ativos que estão dentro dele, compare com outros fundos similares. Você encontra todos esses dados nos sites de cada um desses fundos.

4. Informação é poder

O fato de todos estarem dizendo que determinado ativo é bom, não significa necessariamente que ele seja para você. Tudo depende dos seus objetivos em termos de rentabilidade, das suas metas pessoais, do tempo em que pretende deixar o dinheiro aplicado.

São muitas as variáveis que irão definir se uma determinada aplicação financeira é boa, portanto, não abra mão de estudar antes de fazer suas escolhas.

5. Diversificação é diferente de pulverização

Vá com calma. E lembre-se que diversificação é diferente de pulverização. Comprar aleatoriamente um monte de ativos diferentes não é o mesmo que diversificar.

Diversificação é algo que você faz com planejamento. Estude os investimentos e os setores aos quais cada um pertence. Depois, monte um portfólio cujo número de ativos seja administrável. Afinal, você precisará acompanhar os ativos em que investiu.

Se você fizer uma carteira com ativos demais, pode não ter tempo para acompanhar tantas informações e movimentos de mercado.

6. Faça aportes regulares

Tão importante quanto montar uma carteira diversificada, é criar uma disciplina de aportes nesta carteira.

Defina um percentual mensal de sua renda que será destinado aos investimentos e não se sabote. Considere este número como se fosse uma prestação que está pagando. Pague-se mensalmente!

7. Acompanhe seus investimentos

Acompanhar sua carteira de investimentos não é o mesmo que operar notícias. Guarde esta informação pois ela é preciosa.

Você deve ser fiel à estratégia que traçou. No entanto, precisa manter-se bem informado sempre. Por mais que uma estratégia sólida de longo prazo seja a ideal, isso não significa que você não possa fazer ajustes ao longo da jornada.

Saber o que acontece com os setores em que você escolheu investir é muito importante para rebalancear sua carteira de tempos em tempos e adequar os percentuais de cada ativo à sua estratégia inicial.

8. Nunca pare de estudar

Investir em renda variável requer disciplina e estudo. Sem isso, você acaba apenas reagindo aos acontecimentos e, portanto, se torna passageiro numa viagem em que deveria ser o piloto.

Investidores que simplesmente reagem, fazendo movimentos de carteira baseados nos acontecimentos, tendem a perder dinheiro. Isso ocorre porque o mercado antecipa os acontecimentos.

Imagine que milhares de gestores e analistas estão o tempo todo estudando macroeconomia, política nacional e internacional, tendências, e acompanhando toda a movimentação do mercado. Quando algo vira notícia corrente, salvo exceções, normalmente o mercado já precificou o acontecimento e se posicionou para enfrentá-lo.

Se você está no grupo dos que agem só quando a manada está agindo, ou seja, vende quando todos vendem, ou compra quando todos compram. Você está atrasado.

Ter objetivos bem definidos, disciplina e uma estratégia clara para alcançá-los é o que vai tirar você da manada. Uma carteira diversificada e planejada para um horizonte de longo prazo equivale a preparar seu barco para as tempestades. E creia, elas sempre acontecerão!

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos