EURO R$ 6,22 +0,10% DÓLAR R$ 5,29 -0,32% ITUB4 R$ 28,77 +3,68% MGLU3 R$ 15,95 -2,39% ABEV3 R$ 15,85 +0,83% GGBR4 R$ 26,96 +5,48% BBDC4 R$ 20,71 +4,39% IBOVESPA 114.111,08 pts +1,63% PETR4 R$ 26,85 +3,87% VALE3 R$ 79,40 +0,62%
EURO R$ 6,22 +0,10% DÓLAR R$ 5,29 -0,32% ITUB4 R$ 28,77 +3,68% MGLU3 R$ 15,95 -2,39% ABEV3 R$ 15,85 +0,83% GGBR4 R$ 26,96 +5,48% BBDC4 R$ 20,71 +4,39% IBOVESPA 114.111,08 pts +1,63% PETR4 R$ 26,85 +3,87% VALE3 R$ 79,40 +0,62%
Delay: 15 min

Como controlar as emoções ao investir

Marcelo Biasoli é executivo do mercado financeiro com experiência em liderar áreas de Inovação, Estratégia, Desenvolvimento de Negócios e Marketing. Também é coach com conhecimento e paixão pelo desenvolvimento humano e neurociência aplicada aos negócios, combinando as competências de future thinking, criatividade e intraempreendedorismo para impulsionar investimentos e acelerar negócios.

Escreve mensalmente, às quartas-feiras

Marcelo Biasoli

Games: um mercado que vai além dos números

Embora não seja desprezível a projeção de receita de US$ 200 bilhões até 2023. E o melhor: o investidor pode ganhar junto

Esports_investimento
E-Sports (Foto: Evanto Elements)
  • Os números mostram o que acontece quando surge uma conexão entre o momento do mercado e a realidade da transformação digital. A pandemia afetou muitos segmentos e está colocando todo o ecossistema de jogos em movimento para o crescimento
  • Mas a utilização dos jogos vai além disso. É possível ver sua utilização em diversas frentes como: a Educação, que utiliza os jogos educativos, didáticos e de entretenimento em todos os estágios desde a Educação infantil até a superior

Estudar o potencial das empresas e mercados faz parte do check list dos investidores de sucesso e o mercado de games tem motivos de sobra para fazer parte dessa avaliação. Este segmento está em ascensão e conecta modelos de negócio com a economia da atenção, aprendizagem social, entretenimento, além de proporcionar o desenvolvimento de diversas habilidades para os que investem seu tempo jogando.

De acordo com a empresa de estatísticas Newzoo, o mercado mundial de games possui atualmente 2,7 bilhões de jogadores, ou seja, 35% da população mundial e a projeção de receita deve atingir US$ 200 bilhões até 2023.

Os números são expressivos e chamam a atenção dos investidores. A pandemia impulsionou o mercado de investimentos no setor que fechou 2020 atingindo US$ 33,6 bilhões em 665 transações, de acordo com a InvestGame. As fusões e aquisições responderam por 37,5% dos investimentos em 219 negócios e os Fundos de Venture Capital, somados aos investimentos de empresas, injetaram US$ 5,9 bilhões em 363 negócios. A maior parte do investimento foi nos desenvolvedores e editores de jogos multiplataforma.

Os números mostram o que acontece quando surge uma conexão entre o momento do mercado e a realidade da transformação digital. A pandemia afetou muitos segmentos e está colocando todo o ecossistema de jogos em movimento para o crescimento, à medida que as pessoas se voltam para o entretenimento digital. Isso ajudou a distrair as pessoas e proporcionou também a socialização à distância.

Entretanto, para que se tenha benefícios, é importante que haja moderação para evitar problemas psicológicos, lesões ou até mesmo o vício. Tal como acontece com outras práticas que têm benefícios e malefícios potenciais, a educação e a disciplina são chaves para cuidar do estado emocional e das partes do corpo que mais são exigidas na prática dessa atividade.

Os jogos têm um papel importante no movimento das atividades cerebrais pois ativam a memória, promovem o aumento da criatividade e a expansão da capacidade do pensamento, ao mesmo tempo que auxilia o ser humano a viver em sociedade. Se utilizadas corretamente, as técnicas de jogos potencializam a organização de ações para que as pessoas conquistem objetivos e elaborem estratégias para o cumprimento de tarefas em menor tempo possível. A gestão do tempo passa a ser um fator determinante para o rendimento profissional, além de auxiliar no balanço entre vida pessoal e profissional.

Mas a utilização dos jogos vai além disso. É possível ver sua utilização em diversas frentes como: a Educação, que utiliza os jogos educativos, didáticos e de entretenimento em todos os estágios desde a Educação infantil até a superior, em diversas ações de desenvolvimento de competências para funcionários nas empresas e em ações de marketing que utilizam estratégias de interação entre a marca e o público-alvo por meio de plataformas de gamificação, para deixar produtos e/ou serviços tradicionais mais atrativos. Não é à toa que os gigantes da tecnologia como Facebook, Google, Microsoft, Apple e outros estão presentes e têm aumentado a presença nesse mercado.

Na primeira semana de março desse ano a Comissão Européia aprovou a compra da ZeniMax Media, o estúdio por trás das franquias de videogame Doom e Fallout, pela Microsoft por US$ 7,5 bilhões. E a Microsoft não para pôr ai. Segundo fontes de notícias no mercado, a empresa está interessada na compra do Discord, o WhatsApp dos gamers. Especialistas destacam que esses movimentos posicionam claramente a Microsoft como forte player no futuro do mercado de jogos digitais, com avanços significativos no segmento de propriedades de jogos e plataformas.

No Brasil esse mercado também se destaca. De acordo com a empresa Comscore, são 84 milhões de usuários, sendo 70% da população digital do país, que gasta quase 10 horas por mês consumindo conteúdo, deixando a categoria no Top 5 no ranking de média de horas gastas. Além disso o país está no Top 2 entre users do Twitch, que é considerada a maior plataforma de streaming de Living Games no mundo.

Prova desse potencial foi a rodada de investimento de US$ 120 milhões realizada em agosto do ano passado pelo fundo americano Vulcan Capital na desenvolvedora de games brasileira Wildlife Studios.

Fato é que o mercado de Games também tem influenciado a inovação em outros segmentos da economia como imagens médicas, robótica, aplicativos educacionais e de treinamento que utilizam o aprendizado baseado em jogos. Eles estão mudando o entretenimento, a cultura, expandindo eventos e ligas esportivas e impulsionam o mercado com novas tecnologias como: inteligência artificial, realidade virtual e aumentada.

São vários os critérios que levam os investidores a decidir por investir em segmentos, empresas, fundos etc. Estratégia, perfil dos líderes, potencial e crescimento de mercado, dentre outros. Mas um dos mais importantes é a conexão do investidor com o propósito. Portanto, lembre-se de considerar qual é a sua relação com o mercado e de que forma esse investimento impacta você. A partir daí a aposta está lançada!

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos