EURO R$ 6,40 +0,24% MGLU3 R$ 7,05 +4,29% BBDC4 R$ 20,76 -0,29% ITUB4 R$ 22,98 -0,35% DÓLAR R$ 5,66 +0,06% ABEV3 R$ 16,00 -0,06% IBOVESPA 105.069,69 pts +0,58% GGBR4 R$ 27,85 +0,69% PETR4 R$ 28,76 +1,41% VALE3 R$ 71,87 -2,20%
EURO R$ 6,40 +0,24% MGLU3 R$ 7,05 +4,29% BBDC4 R$ 20,76 -0,29% ITUB4 R$ 22,98 -0,35% DÓLAR R$ 5,66 +0,06% ABEV3 R$ 16,00 -0,06% IBOVESPA 105.069,69 pts +0,58% GGBR4 R$ 27,85 +0,69% PETR4 R$ 28,76 +1,41% VALE3 R$ 71,87 -2,20%
Delay: 15 min
Comportamento

Binance lança serviço de ‘Airbnb’ descentralizado

Cada hóspede e host recebe um token chamado TRVL, que exerce funções tanto de identidade como de moeda

pousada na praia
(Foto: Pixabay/ Quang Nguyen Vinh)
  • Segundo o Dtravel, o TRVL é facilmente trocável por criptomoedas e usuários avançados de criptomoedas podem obter rendimento de tokens e participar do ecossistema de finanças descentralizadas (DeFi)
  • Com a tecnologia peer-to-peer, os hosts podem ter comunicação direta com os hóspedes, além de garantir que as transações sejam feitas diretamente entre as duas partes
  • A Dtravel garantiu uma rodada de arrecadação de fundos de US$ 5 milhões da Kenetic Capital, Future Perfect Ventures

Em participação conjunta com o site de viagens Travala, a Binance lança a Dtravel, uma plataforma de aluguel de imóveis por temporada que promete beneficiar hóspedes e anfitriões por meio da tecnologia blockchain. Esta operação permite que reservas e pagamentos sejam realizados por meio de token. Até o momento, a plataforma está apenas recebendo cadastro de anfitriões.

Ex-executivos de empresas como Airbnb, Expedia, Uber e Google fazem parte do projeto, que se define como “um Airbnb com taxas mais baixas, criado para beneficiar anfitriões e hóspedes, em vez de uma corporação que prioriza os interesses dos acionistas acima dos de sua comunidade”.

Na plataforma, que funciona como uma organização autônoma descentralizada (DAO), cada hóspede e host recebe um token chamado TRVL, exercendo funções tanto de identidade como de moeda. O Dtravel cobra 7,5% de taxa, enquanto os concorrentes arrecadam cerca de 20%, afirma o site.

Com a tecnologia peer-to-peer, os hosts podem ter comunicação direta com os hóspedes, além de garantir que as transações sejam feitas diretamente entre as duas partes, sem intermediação.

De acordo com a Travala, a tecnologia surge em um cenário em que os serviços de turismo foram fortemente afetados pela pandemia do coronavírus. Com intuito de amenizar os impactos e as burocracias, o Dtravel é uma oportunidade de facilitar e dar flexibilidade em casos de imprevistos, sejam pessoais ou por medidas dos governos.

Segundo o site, o TRVL é facilmente trocável por criptomoedas e usuários avançados de criptomoedas podem obter rendimento de tokens e participar do ecossistema de finanças descentralizadas (DeFi).

A Dtravel garantiu uma rodada de arrecadação de fundos de US$ 5 milhões da Kenetic Capital, Future Perfect Ventures, DHVC, Plutus VC, GBV Capital, AU21 Capital, Shima Capital, LD Capital e NGC Ventures.

O site CoinDesk recorda que o Dtravel não é a primeira proposta de descentralização para hospedagens por temporada. Em janeiro de 2019, ex-funcionários do Uber lançaram a startup Bee Token, mas tiveram dificuldades para encontrar usuários, provocando o fechamento da plataforma.

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos