Comportamento

Mais de 500 anunciantes rompem com o Twitter após venda a Elon Musk

Mesmo com a notícia ruim para o Twitter, as ações da Tesla seguem operando em alta

Mais de 500 anunciantes rompem com o Twitter após venda a Elon Musk
  • Mais de 500 anunciantes interromperam seu patrocínio no Twitter desde a aquisição da rede social por Elon Musk
  • Desde que Musk assumiu o Twitter em outubro, os anunciantes fugiram em resposta às ações tomadas pelo bilionário na empresa, como a demissão imediata de milhares de funcionários

Mais de 500 anunciantes interromperam o patrocínio no Twitter desde a aquisição da rede social por Elon Musk no ano passado, reportou o The Information nesta quarta-feira (18), citando uma pessoa familiarizada com o negócio de publicidade. A receita diária da empresa de mídia social em 17 de janeiro foi 40% menor do que no mesmo dia do ano anterior, acrescentou o relatório.

Desde que Musk assumiu o Twitter em outubro, os anunciantes fugiram em resposta às ações tomadas pelo bilionário na empresa, como a demissão imediata de milhares de funcionários e o comprometimento do sistema de selos de verificação de contas, que fez com que pessoas se passassem por empresas e figuras públicas.

Além disso, a reinstituição de contas de figuras polêmicas como Kanye West e Donald Trump prejudicaram a imagem de Musk e da rede social. Um exemplo claro disso foi a enquete feita na conta do próprio Elon Musk na qual ele questionava os usuários se eles queriam-no como CEO da empresa: o resultado foi de que ele deveria sair do cargo – ao todo, 57,5% das pessoas pediram a sua renúncia.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Após o resultado negativo em sua enquete, Musk respondeu: “Vou renunciar ao cargo de CEO assim que encontrar alguém tolo o suficiente para aceitar o cargo! Depois disso, apenas comandarei as equipes de software e servidores.”

Musk também reverteu a proibição de 2019 de anúncios políticos no Twitter e disse que relaxaria a política de publicidade para “anúncios baseados em causas” nos Estados Unidos e alinharia sua política de anúncios com a TV e outros meios de comunicação.

A relação entre o Twitter e a Tesla

Por mais que as duas empresas atuem em ramos completamente distintos, o desempenho de Musk no Twitter afeta as ações da Tesla (TSLA), por diferentes razões. A primeira delas se deve ao fato do segundo homem mais rico do mundo ser o CEO de ambas as empresas, atrelando a imagem das duas companhias.

Musk tem participação de 14% na Tesla atualmente – porcentual que já foi muito maior. No dia 3 de abril de 2022, mês em que o bilionário executivo iniciou o processo de comprar papéis do Twitter, as ações da montadora de veículos elétricos estavam cotadas a US$ 381,82, enquanto hoje elas valem US$ 134,82.

Musk vendeu US$ 31 bilhões em ações da montadora para financiar sua tentativa de adquirir o Twitter, fazendo com que o preço das ações caíssem.

O Twitter não é o único com problemas no faturamento. A Tesla teve de abaixar o preço de seus veículos nos Estados Unidos e na China para tentar compensar um baixo desempenho na demanda pelos automotores.

Publicidade

No entanto, hoje, às 11h43 do horário de Brasília, os papéis da Tesla na Nasdaq avançavam 2,53%, cotados a US$ 134,82.

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos