Publicidade

Criptomoedas

Gigante cripto encontra saída para movimentar dólares

Durante um mês, os clientes não conseguiram depositar ou sacar dólares em consequência do rompimento com os bancos

Gigante cripto encontra saída para movimentar dólares
Foto: Envato Elements

A exchange de criptomoedas Binance.US vem enfrentando uma série de desafios legais e financeiros à medida que as agências reguladoras aumentam a fiscalização de empresas de todos os tipos no setor. Agora a exchange está unindo forças com outra empresa ameaçada do mundo cripto na tentativa de recuperar o acesso a um fluxo constante de dólares.

Durante mais de um mês, os clientes da exchange de criptomoedas não conseguiram depositar ou sacar dólares, uma consequência do rompimento com inúmeros parceiros bancários. Então veio a MoonPay, uma startup de pagamento que se tornou famosa por uma série de parcerias com marcas renomadas focadas nos tokens não fungíveis.

O acesso à MoonPay proporcionaria uma forma alternativa dos usuários da Binance.US converterem dólares em criptomoedas: eles poderão usar seus cartões de débito ou crédito, Apple Pay ou Google Pay para comprar Tethers e, em seguida, usar essas stablecoins para comprar os outros tokens de criptomoedas ainda disponíveis na plataforma. Os clientes têm acesso a esta opção imediatamente, de acordo com um e-mail enviado pela plataforma na segunda-feira e verificado pela Bloomberg.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

O CEO da MoonPay, Ivan Soto-Wright, disse em entrevista à Bloomberg Television que sua empresa realizaria uma verificação da identidade (KYC) dos usuários da Binance.

“Obviamente, vamos realizar a KYC; seguimos todas as normas legais em todas as jurisdições em que operamos e, por isso, podemos facilitar o preenchimento das carteiras deles”, afirmou.

Em junho, a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC, na sigla em inglês) processou a Binance.US e a sua coligada global, a Binance.com, por uma suposta “variedade de violações da lei de valores mobiliários”. Embora a Binance.US, a Binance.com e o fundador delas, Changpeng Zhao, tenham contestado as acusações contra eles, os clientes fugiram das plataformas.

Na época do processo, a Binance.US tinha sob gestão mais de US$ 2 bilhões em criptoativos de clientes, de acordo com a SEC. Nos meses seguintes, a liquidez na plataforma secou e sua fatia de mercado diminuiu, deixando-a como um player secundário em comparação com as rivais americanas Coinbase e Kraken.

A participação de mercado da Binance.US caiu de mais de 20%, em abril, e 22%, em março, para 0,7%, de acordo com dados baseados no volume negociado da provedora de dados sobre o mercado cripto Kaiko.

Publicidade

A exchange dos EUA disse à Bloomberg que “ainda tem parceiros bancários que permitem à empresa manter os dólares dos clientes”. A Binance.US não disse o nome desses parceiros ao ser questionada.

A MoonPay, com sede em Miami, arrecadou US$ 555 milhões e foi avaliada em US$ 3,4 bilhões no final de 2021. Em abril, conquistou o apoio de celebridades, entre elas Ashton Kutcher e Justin Bieber, em outra rodada de investimentos. No primeiro trimestre deste ano, a MoonPay reduziu a avaliação interna de suas ações em 72%, disse a empresa ao site The Information. Segundo Soto-Wright, a MoonPay não pretende levantar novo capital. “Vamos continuar a nos estabelecer”, disse.

– – –

Hannah Miller, Ed Ludlow e Caroline Hyde contribuíram com esta matéria.

Web Stories

Ver tudo
<
>