EURO R$ 5,18 -0,05% DÓLAR R$ 5,10 +0,05% MGLU3 R$ 4,04 +13,41% BBDC4 R$ 19,43 -0,56% ABEV3 R$ 15,42 +1,45% ITUB4 R$ 26,97 +0,97% PETR4 R$ 31,72 -0,35% GGBR4 R$ 25,82 -1,07% IBOVESPA 113.031,98 pts +0,24% VALE3 R$ 68,30 -2,08%
EURO R$ 5,18 -0,05% DÓLAR R$ 5,10 +0,05% MGLU3 R$ 4,04 +13,41% BBDC4 R$ 19,43 -0,56% ABEV3 R$ 15,42 +1,45% ITUB4 R$ 26,97 +0,97% PETR4 R$ 31,72 -0,35% GGBR4 R$ 25,82 -1,07% IBOVESPA 113.031,98 pts +0,24% VALE3 R$ 68,30 -2,08%
Delay: 15 min
Mercado

Abertura de Mercado: altas no exterior podem alavancar bolsa no Brasil

Abertura de Mercado: altas no exterior podem alavancar bolsa no Brasil
Foto: REUTERS/Amanda Perobelli

A manhã de sexta-feira (24) é de apetite por ativos de risco no exterior. Os mercados globais de ações avançam, embora persistam temores sobre riscos de recessão nos EUA diante do aperto mais agressivo de juros no país. No Brasil, a melhora do humor externo pode amenizar um pouco a cautela na bolsa com a Petrobras.

O mercado de juro deve repercutir o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), divulgado nesta manhã pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica (IBGE), e a meta de inflação de 2025 definida ontem pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). No câmbio, pode trazer alívio a queda do dólar e altas dos juros dos treasuries e do petróleo nesta manhã, mas os riscos fiscais internos podem também continuar pesando.

Indefinido no curto prazo, o Ibovespa trabalha em região de mínima do ano marcada aos 98.000 pontos e caso perca este nível de forma definitiva abrirá espaço para a continuidade do movimento original de queda coma próximo objetivo apontando para os 93.400 pontos. Por outro lado, se o próximo movimento for de uma reação, o índice confirmaria fundo na região e poderia promover uma arrancada em direção aos 103.000 pontos ou estender a busca até a reta de resistência que passa na zona dos 107.700 pontos.

No exterior, os contratos futuros de petróleo passaram a subir, revertendo as perdas da madrugada, enquanto os mercados globais de ações avançam, embora persistam temores sobre riscos de recessão nos Estados Unidos diante do aperto mais agressivo de juros no país. Os juros dos treasuries sobem, após recuarem nas duas sessões anteriores, com a política monetária orte-americana e o impacto na atividade amedrontando os investidores.

Na Europa, as vendas no varejo no Reino Unido vieram melhores que o esperado, mas o sentimento das empresas na Alemanha piorou, o que não impede a recuperação das ações e das moedas na região após uma semana de fortes pressões negativas.

Agenda econômica 24/06

Brasil: O IPCA-15 de junho é o destaque (9h). A mediana do mercado indica aceleração da inflação para 0,67% em junho, após 0,59% em maio.

EUA: As vendas de moradias novas e o índice final de sentimento do consumidor em junho saem no mesmo horário (11hrs). A presidente do Fed de São Francisco, Mary Daly, participa de evento (17h).

Europa: A cúpula de líderes da União Europeia prossegue na Bélgica.

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos