MGLU3 R$ 8,06 -7,36% DÓLAR R$ 5,61 +0,73% ITUB4 R$ 22,81 -1,89% EURO R$ 6,35 +1,77% BBDC4 R$ 20,42 -4,00% PETR4 R$ 28,47 -3,88% IBOVESPA 102.224,26 pts -3,39% GGBR4 R$ 25,55 -2,63% ABEV3 R$ 16,69 -3,13% VALE3 R$ 68,64 -2,64%
MGLU3 R$ 8,06 -7,36% DÓLAR R$ 5,61 +0,73% ITUB4 R$ 22,81 -1,89% EURO R$ 6,35 +1,77% BBDC4 R$ 20,42 -4,00% PETR4 R$ 28,47 -3,88% IBOVESPA 102.224,26 pts -3,39% GGBR4 R$ 25,55 -2,63% ABEV3 R$ 16,69 -3,13% VALE3 R$ 68,64 -2,64%
Delay: 15 min
Mercado

Valor da ação da Amazon dispara com crise do coronavírus

Volume de negócios da empresa aumentou com os pedidos feitos pelo e-commerce

Caminhão de entrega da Amazon chega para ser reabastecido no centro de logística da empresa nos Estados Unidos (Foto: Pascal Rossignol/Reuters)
Caminhão de entrega da Amazon chega para ser reabastecido no centro de logística da empresa nos Estados Unidos (Foto: Pascal Rossignol/Reuters)
  • Preço atingiu US$ 2.284,05 na terça-feira (13), o maior valor já registrado pela empresa
  • A ascensão da Amazon está intimamente ligada às ordens de confinamento e distanciamento social decretadas em grande parte do mundo
  • Porém, empresa de Jeff Bezos tem sido criticada por descuidar da segurança e da saúde dos funcionários

(EFE) – A Amazon atingiu o maior preço de mercado em sua história na terça-feira (13) em meio à pandemia de covid-19, uma crise de saúde que, para a empresa, levou a um aumento sem precedentes no volume de negócios. A empresa liderada por Jeff Bezos (o homem mais rico do mundo, de acordo com a lista da Forbes) chegou ao longo do pregão de terça-feira em Nova York a um preço de US$ 2.284,05 por ação, um aumento de 5,34% comparado ao fechamento anterior e ao maior valor já registrado pela empresa.

Em termos de volume de negócios, a ascensão da Amazon está intimamente ligada às ordens de confinamento e distanciamento social decretadas em grande parte do mundo para enfrentar a pandemia e que forçaram o fechamento da maioria das lojas físicas.

Com isso, o comércio eletrônico foi alavancado. De acordo com os dados mais recentes da empresa de marketing e produtos em nuvem Emarsys e da empresa de software GoodData, as compras on-line aumentaram mais de 90% em relação ao ano passado nos Estados Unidos e no Canadá e 82 % na Europa, os principais mercados da Amazon.

Polêmica com demissões

A empresa de Seattle aumentou sua força de trabalho na América do Norte em 100.000 pessoas desde o início da crise da saúde e planeja contratar mais 75.000, em um momento em que a maioria das empresas está demitindo funcionários.

No entanto, esse aumento repentino no volume de negócios foi acompanhado por duras críticas de trabalhadores, sindicatos e políticos nos EUA e outras partes do mundo, que acusam a empresa de não fazer o suficiente para garantir a segurança e a saúde de seus funcionários.

Nesse sentido, o jornal The Washington Post publicou na terça-feira (7) que a Amazon demitiu dois funcionários que se posicionaram publicamente contra as medidas adotadas até o momento pela empresa, informação que posteriormente a própria empresa confirmou.

A Amazon alega que as trabalhadoras em questão, Emily Cunningham e Maren Costa, ambas criadoras de páginas da web, “violaram” repetidamente as políticas internas, evidenciando suas discrepâncias com a operação da empresa.

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos