MGLU3 R$ 2,43 -0,40% EURO R$ 5,52 -0,38% ITUB4 R$ 23,58 +0,98% DÓLAR R$ 5,23 -0,16% BBDC4 R$ 18,17 +1,79% IBOVESPA 100.763,60 pts +2,12% VALE3 R$ 78,05 +5,19% GGBR4 R$ 23,50 +1,94% PETR4 R$ 27,98 +6,96% ABEV3 R$ 13,72 +0,95%
MGLU3 R$ 2,43 -0,40% EURO R$ 5,52 -0,38% ITUB4 R$ 23,58 +0,98% DÓLAR R$ 5,23 -0,16% BBDC4 R$ 18,17 +1,79% IBOVESPA 100.763,60 pts +2,12% VALE3 R$ 78,05 +5,19% GGBR4 R$ 23,50 +1,94% PETR4 R$ 27,98 +6,96% ABEV3 R$ 13,72 +0,95%
Delay: 15 min
Mercado

Ambev (ABEV3): Itaú BBA inicia cobertura da ação e projeta valorização de 14,7%

Banco tem recomendação acima da média do mercado para o ativo, com preço-alvo de R$ 18

Ambev (ABEV3): Itaú BBA inicia cobertura da ação e projeta valorização de 14,7%
Fabrica da Cervejaria Bohemia, da Ambev, na cidade de Petrópolis, Rio de Janeiro. Foto: Marcos Arcoverde/Estadão
  • Itaú BBA inicia cobertura da ação da Ambev (ABEV3) com “outperform” (desempenho acima da média do mercado);
  • O banco estipulou preço-alvo de R$ 18 para o papel, o que representa potencial de valorização de 14,7%.

Em relatório divulgado na quinta-feira (10), o Itaú BBA informou que iniciou a cobertura de Ambev (ABEV3) e tem a recomendação “outperform” (desempenho acima da média do mercado) para ação, com preço-alvo de R$ 18. Com base no valor do fechamento do mercado do dia, o potencial de valorização do papel é de 14,7%.

Para o banco brasileiro, entre os motivos que sustentam a visão positiva para a empresa, estão a sua digitalização e os ativos de distribuição insubstituíveis da Ambev, que “são uma vantagem fundamental”.

“Nós esperamos que a empresa tenha sucesso no reposicionamento em curso de seu portfólio (que estava atrasado em algumas categorias importantes até recentemente), aliviando parte da pressão sobre as margens observada nos últimos anos. Portanto, acreditamos que qualquer outra fraqueza no preço das ações seria um bom ponto de entrada”, afirma André Hachem, analista do Itaú BBA.

Apesar da perspectiva positiva, a instituição reconhece que 2021 será um ano desafiador para a indústria de bebidas em meio a um forte impacto na economia brasileira, o alto desemprego e o fim do auxílio emergencial. Somando-se a isso, a inflação de custos também preocupa, uma vez que parte significativa dos custos de produção da Ambev são para commodities como alumínio, açúcar, milho, cevada e PET, que são denominados em dólares americanos.

Porém, isso não deve impedir a Ambev (ABEV3) de performar bem no ano que vem. “Ao contrário dos eventos de 2020, essa tendência é amplamente antecipada tanto por investidores quanto pela empresa. A política de hedge da companhia permite adiar esses aumentos de custos por cerca de um ano, dando-lhe melhor visibilidade de como planejar suas estratégias”, diz Hachem.

A Ambev (ABEV3) tem baixa de 0,84%, a R$ 15,37, até às 14h15 desta segunda (14) – o Ibovespa sobe 0,08%, aos 115.223,44 pontos, até o momento. Em dezembro, as ações têm valorização de 9,94% e no ano desvalorização de 17,68%.

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos