EURO R$ 5,24 -0,42% MGLU3 R$ 3,94 -1,99% DÓLAR R$ 5,19 +0,47% ABEV3 R$ 15,93 +2,44% BBDC4 R$ 19,84 +0,51% ITUB4 R$ 27,16 -0,69% PETR4 R$ 33,28 +1,59% GGBR4 R$ 24,31 -1,62% IBOVESPA 113.582,85 pts -0,11% VALE3 R$ 68,03 -0,29%
EURO R$ 5,24 -0,42% MGLU3 R$ 3,94 -1,99% DÓLAR R$ 5,19 +0,47% ABEV3 R$ 15,93 +2,44% BBDC4 R$ 19,84 +0,51% ITUB4 R$ 27,16 -0,69% PETR4 R$ 33,28 +1,59% GGBR4 R$ 24,31 -1,62% IBOVESPA 113.582,85 pts -0,11% VALE3 R$ 68,03 -0,29%
Delay: 15 min
Mercado

Bradesco BBI: AmBev (ABEV3) recupera margens e ação pode subir 53%

Bradesco BBI: AmBev (ABEV3) recupera margens e ação pode subir 53%
Cervejaria Ambev deve recuperar margens, segundo Bradesco BBI. (Foto: Paulo Whitaker/Reuters)
  • Os analistas Leandro Fontanesi e Victor Romano esperam que deve demorar cerca de 12 meses para que as mudanças nos preços spot das commodities tenham reflexo nos resultados
  • O Bradesco BBI permanece otimista não só com relação à Ambev, mas também com outras companhias do setor de Bebidas e Alimentos

Por Victoria Netto – O Bradesco BBI avalia, em relatório, que o cenário para as margens da Ambev está melhorando, considerando que os preços das principais commodities que são usadas na produção de cerveja “caíram significativamente” no último mês (alumínio recuou 10% e o trigo cedeu 21%), enquanto a indústria de cerveja continua aumentando os preços devido ao ambiente inflacionário geral. O banco tem preço-alvo de R$ 21,00 para os papéis da Ambev, alta potencial de 53,50% sobre o último fechamento.

Ainda assim, em função dos hedges, os analistas Leandro Fontanesi e Victor Romano esperam que deve demorar cerca de 12 meses para que as mudanças nos preços spot (à vista) das commodities tenham reflexo nos resultados. “Dito isso, estimamos que os dados de inflação de cerveja de 9% maior na comparação ano a ano a partir de junho sejam superiores ao aumento estimado do Custo dos Produtos Vendidos (CPV) de 8% anual”, afirmam.

Além disso, os profissionais acreditam que um ambiente competitivo relativamente favorável permitirá à Ambev recuperar margens à medida que o consumo retorna aos bares, onde os preços são maiores. “Isso porque a Heineken provavelmente enfrentará restrições de capacidade até 2024, quando deverá abrir uma nova fábrica, e entendemos que Petrópolis está buscando uma reviravolta em sua operação, o que pode levar a uma redução em sua capacidade de distribuição”, avaliam.

O Bradesco BBI permanece otimista não só com relação à Ambev, mas também com outras companhias do setor de Bebidas e Alimentos que devem se beneficiar da queda nos preços das commodities. Entre elas, estão BRF e M. Dias Branco, com preços-alvo de R$ 27,00 e R$ 40,00, respectivamente. Os valores representam potencial valorização de 83,29% e 49,53%, em ordem, ante o último fechamento.

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos