EURO R$ 6,28 +1,25% DÓLAR R$ 5,35 +1,28% ITUB4 R$ 27,05 -2,77% MGLU3 R$ 15,95 -3,74% ABEV3 R$ 15,59 -0,95% GGBR4 R$ 24,09 -2,07% IBOVESPA 108.398,18 pts -2,73% BBDC4 R$ 19,21 -4,05% PETR4 R$ 24,25 -2,73% VALE3 R$ 82,97 -3,69%
EURO R$ 6,28 +1,25% DÓLAR R$ 5,35 +1,28% ITUB4 R$ 27,05 -2,77% MGLU3 R$ 15,95 -3,74% ABEV3 R$ 15,59 -0,95% GGBR4 R$ 24,09 -2,07% IBOVESPA 108.398,18 pts -2,73% BBDC4 R$ 19,21 -4,05% PETR4 R$ 24,25 -2,73% VALE3 R$ 82,97 -3,69%
Delay: 15 min
Mercado

Como a alta da inflação pode afetar os investimentos

Os olhos dos investidores podem voltar-se mais atentamente aos ativos de renda fixa

Pequenos blocos de madeira com o símbolo de porcento em cima de moedas
Apesar do aumento da Selic, a grande maioria das aplicações de renda fixa conta com rendimentos menores do que a inflação projetada; investidores devem se planejar para reduzir perdas. (Foto: Patpitchaya/Shutterstock)
  • As atualizações do cenário econômico do País, divulgadas pelo Boletim Focus, apontam uma inflação maior para a economia do País
  • A Selic esteve em mínimas históricas desde agosto de 2020 até janeiro deste ano, o que causou forte migração para os investimentos de renda variável durante a pandemia, já que a renda fixa não cobria os juros reais

As atualizações do cenário econômico do País, divulgadas pelo Boletim Focus, apontam uma inflação maior para a economia do País. Na edição publicada nesta segunda-feira (28), a projeção para o IPCA passou de 5,90% para 5,97%. Apesar da elevação da inflação, a taxa de juros (Selic) permanece com expectativa de 6,5% para o fim do ano.

Com Selic e inflação mais altas, os olhos dos investidores podem voltar-se mais atentamente aos ativos de renda fixa, seja prefixado ou pós-fixado, já que esses investimentos rendem com base na taxa de juros (Selic) e pela medida de inflação (IPCA).

Simone Faganello, analista de produtos de renda fixa da Ágora Investimentos, sugere que o investidor busque calcular o valor do juro real, ou seja, a taxa de juros menos a inflação. “Há CDBs, LCAs e LCIs que pagam a variação da inflação. Além disso, existem os papéis mais arriscados de renda fixa que remuneram um pouco melhor em relação a essa diferença entre juros e inflação, que são os de crédito privado como debêntures, CRIs e CRAs”, afirma.

O especialista em investimentos da Genial Investimentos, Luigi Wis, destaca que os ativos de renda fixa atrelados à inflação, ou seja, que têm o IPCA como base, como CDB, Tesouro Direto e Debêntures, funcionam como proteção. “O investidor deve procurar alternativas atreladas ao IPCA para proteger-se de uma alta da inflação, tendo cuidado com os pós-fixados de curto prazo atrelados à taxa Selic”, alerta Wis.

Pedro Vendramini, economista da One Investimentos, comenta que o aumento da inflação não é uma surpresa para o mercado nacional ou internacional, visto o período de crise sanitária que resultou no fechamento de fábricas e serviços, além da distribuição de renda do governo federal para garantir necessidades básicas das pessoas de baixa renda.

Ele destaca que a Selic esteve em mínimas históricas desde agosto de 2020 até janeiro deste ano, o que causou forte migração para os investimentos de renda variável durante a pandemia, já que a renda fixa não cobria os juros reais.

“É preciso ter no radar as decisões das autoridades monetárias para equilibrar juros e inflação. Em um cenário inflacionário, quando o BC mantém juros próximos a zero por muito tempo, o juro real (descontado da inflação) fica negativo, causando um cenário menos atrativo para a renda fixa”, diz Vendramini.

Para os próximos encontros, o Copom espera continuar a “normalização” da economia após a crise advinda da pandemia. O Comitê reconhece a possibilidade de uma deterioração das expectativas de inflação, o que pode resultar na redução de estímulos monetários. Entretanto, outras variáveis serão decisivas, como a evolução da atividade econômica, o balanço de riscos e como esses fatores podem afetar as projeções de inflação.

Renda Variável e Inflação

De acordo com os analistas do mercado financeiro, as ações não tendem a sofrer grandes impactos com o aumento da inflação. Como as empresas listadas na Bolsa já são consolidadas, elas conseguem repassar o aumento do preço para o consumidor final. O que pode, inclusive, gerar mais renda para as companhias.

“Alguns setores, como empresas do setor imobiliário podem sofrer mais. Entretanto, o mercado de ações em geral não deve sentir tanta influência com o aumento da inflação. A não ser que se prolongue mais do que o esperado”, comenta Luigi Wis.

Segundo Vendramini, a expectativa de ajuste da inflação, resulta em juro real de longo prazo maior. “Quando a relação entre juros e inflação está ajustada, o juro real de longo prazo tende a estabilizar em níveis mais baixos, o que compromete os retornos”, explica o economista da One Investimento.

Ele complementa que a taxa de juros elevada pode descontar no valor das empresas de utilidades (energia, água e saneamento), por terem fluxo de caixa mais constante. Por outro lado, as companhias do setor imobiliário podem ser beneficiadas com os juros de longo prazo menores.

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos