EURO R$ 5,23 -0,01% MGLU3 R$ 4,15 +2,97% DÓLAR R$ 5,15 +0,00% ABEV3 R$ 15,50 +0,45% BBDC4 R$ 19,71 +1,60% ITUB4 R$ 27,24 +1,04% PETR4 R$ 32,01 +0,91% GGBR4 R$ 24,43 -2,08% VALE3 R$ 69,95 +2,34% IBOVESPA 113.512,38 pts +0,43%
EURO R$ 5,23 -0,01% MGLU3 R$ 4,15 +2,97% DÓLAR R$ 5,15 +0,00% ABEV3 R$ 15,50 +0,45% BBDC4 R$ 19,71 +1,60% ITUB4 R$ 27,24 +1,04% PETR4 R$ 32,01 +0,91% GGBR4 R$ 24,43 -2,08% VALE3 R$ 69,95 +2,34% IBOVESPA 113.512,38 pts +0,43%
Delay: 15 min
Mercado

TRX foi a única criptomoeda que valorizou em maio; veja ranking

A LUNA aparece na ponta oposta. O token começou o mês valendo R$ 384,12 e, agora, não vale nada

TRX foi a única criptomoeda que valorizou em maio; veja ranking
As variações negativas vistas em maio mostram o receio de investidores com a tese de blockchains alternativas. (Foto: Envato Elements)
  • TRX, token nativo da Blockchain TRON, foi a única criptomoeda que conseguiu performar no positivo em maio. O ativo subiu 29,50% no mês
  • Já a Luna, perdeu todo o seu valor e figura como a maior queda do mês. Após a quebra da paridade da stablecoin UST com o dólar, e pela dinâmica do algoritmo envolvendo os ativos UST e LUNA, gerou-se uma quantidade quase infinita de tokens LUNA que foram vendidas a qualquer preço
  • Entre as criptomoedas mais famosas, o Bitcoin caiu 22,3% e o Ether (ETH) desvalorizou 34,4%

Em mais um mês negativo para o mercado de criptos, o TRX, token nativo da blockchain Tron, foi a única criptomoeda que conseguiu performar no positivo em maio. O ativo subiu 29,50% no mês, destoando dos outros 39 analisados pela QR Asset Management.

A alta é justificada pelo lançamento de protocolos de DeFi (finanças descentralizadas) no ecossistema Tron, que prometem altos retornos anuais para depósitos em USDD, uma stablecoin lançada ainda no início de maio.

O TVL (total value locked, na sigla em inglês) da blockchain Tron saiu de US$ 4,1 bilhões, no final de abril, para cerca de US$ 6,01 bilhões, no final de maio, um crescimento de 46,6% em apenas um mês.

De acordo com Theodoro Fleury, gestor da QR Asset Management, no passado foi frequente ver alta de tokens nativos de blockchains por conta do aumento do total depositado em garantias nos protocolos que rodam nessas redes.

Segundo Fleury, resta saber se a taxa de retorno sobre depósitos oferecidos nesses protocolos é sustentável a longo prazo, ainda mais quando se trata de stablecoins algorítmicas. “O que está acontecendo agora com a rede Tron e o token TRX lembra muito o ocorrido com TERRA e o token Luna”, afirma.

A Luna aparece na ponta oposta, depois de perder todo o seu valor e figurar como a maior queda do mês. Após a quebra da paridade da stablecoin UST com o dólar, e pela dinâmica do algoritmo envolvendo os ativos UST e Luna, gerou-se uma quantidade quase infinita de tokens Luna que foram vendidas a qualquer preço.

Segundo o gestor da QR Asset Management, estima-se que, na bancarrota de Luna, mais de US$ 40 bilhões tenham evaporado em poucos dias. Ele explica que, para se ter uma ideia da dimensão do “rombo”, US$ 40 bilhões é aproximadamente o valor de mercado do Bradesco, e pouco menos do que um Itaú.

“O preço do ativo foi a zero, causando enormes prejuízos aos investidores. Foi talvez o maior crash já visto no mercado de criptoativos, e talvez um dos maiores do mundo englobando finanças tradicionais”, diz Fleury.

Entre as principais criptomoedas, o Bitcoin caiu 22,3% e o Ether (ETH) desvalorizou 34,4% em maio.

Além disso, segundo o gestor da QR Asset Management, a Avalanche, THORChain, Cronos e Solana, que completam a lista dos piores desempenhos, todas com variações negativas próximas a 50%, são tokens nativos de blockchains que figuravam como potenciais “Etehreum killers” ou blockchains que poderiam se firmar como soluções para o problema de escalabilidade do Ethereum.

Para ele, esses ativos entram com uma mesma classificação setorial no investimento. As variações negativas vistas em maio mostram o receio de investidores com essa tese de blockchains alternativas após a derrocada da Terra e todo o seu ecossistema.

“Isso fica nítido no desempenho do próprio Ether, uma variação negativa acentuada para uma rede consolidada como o Ethereum”, diz Fleury.

O levantamento analisou as 40 moedas com maior capitalização de mercado de acordo com o site Messari.io. Ativos que começaram ou terminaram o mês de maio nessa lista foram incluídos.

Apenas não foram consideradas as criptomoedas que começaram o mês entre as 40 e ficaram de fora da lista das 100 moedas com maior capitalização. Além disso, foram eliminadas da classificação as criptos que possuíam valor de mercado inferior a US$ 1 bilhão no início de maio. Confira o ranking completo:

Criptomoedas com o melhor desempenho em maio:

SímboloNomePreço inicialPreço finalVariação %
TRXTRONR$ 0,31R$ 0,4029,50%
KCSKuCoinR$ 84,86R$ 79,01-6,89%
XMRMoneroR$ 1.052,90R$ 937,73-10,94%
ETCEthereum ClassicR$ 127,36R$ 112,31-11,82%
XLMStellarR$ 0,83R$ 0,71-14,35%

Fonte: QR Asset Management

Criptomoedas com o pior desempenho em maio:

SímboloNomePreço inicialPreço finalVariação %
LUNATerra LunaR$ 384,12R$ 0,00-100,00%
AVAXAvalancheR$ 280,21R$ 124,82-55,45%
RUNETHORChainR$ 29,79R$ 14,92-49,92%
CROCronosR$ 1,72R$ 0,89-48,09%
SOLSolanaR$ 416,33R$ 216,22-48,07%

Fonte: QR Asset Management

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos