DÓLAR R$ 5,21 +2,61% MGLU3 R$ 20,56 -5,34% BBDC4 R$ 24,26 -1,66% ITUB4 R$ 30,29 -1,11% EURO R$ 6,19 +2,44% PETR4 R$ 26,85 -3,45% IBOVESPA 121.800,79 pts -3,08% GGBR4 R$ 30,80 -1,91% ABEV3 R$ 16,63 -2,92% VALE3 R$ 109,10 -5,60%
DÓLAR R$ 5,21 +2,61% MGLU3 R$ 20,56 -5,34% BBDC4 R$ 24,26 -1,66% ITUB4 R$ 30,29 -1,11% EURO R$ 6,19 +2,44% PETR4 R$ 26,85 -3,45% IBOVESPA 121.800,79 pts -3,08% GGBR4 R$ 30,80 -1,91% ABEV3 R$ 16,63 -2,92% VALE3 R$ 109,10 -5,60%
Delay: 15 min
Mercado

Guedes reitera disposição de taxar dividendos em 20%

O ministro indicou que alguns pontos da versão original encaminhada ao Congresso poderão ser alterados ou retirados

Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

(Reuters) – O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quarta-feira que o governo está decidido a ser ousado em sua reforma tributária, favorecendo as empresas e os trabalhadores, mas reiterou a disposição de taxar os dividendos distribuídos às pessoas físicas em 20% de forma a aumentar a tributação dos “super-ricos”.

Em coletiva de imprensa para comentar os dados da arrecadação de junho, o ministro afirmou que sua equipe está ouvindo o setor privado sobre sua proposta de reforma tributária e indicou que alguns pontos da versão original encaminhada ao Congresso poderão ser alterados ou retirados.

“Mas o essencial nós faremos, que é tributar juros e dividendos, reduzir a tributação para 31 milhões de brasileiros, os contribuintes assalariados, e isentar os profissionais liberais, que se chamam os pejotinhas”, disse Guedes, acrescentando que o governo não quer taxar médicos e dentistas, mas os grandes escritórios e os super-ricos.

“Nós estamos querendo justamente baixar (tributação das empresas) de 34% para alguns setores para 21,5%. E nós queremos da mesma forma subir de zero para 20% o imposto sobre dividendos”, acrescentou o ministro.

Para Guedes, o nível de arrecadação recorde alcançado pelo país no primeiro semestre é sustentável e independe do crescimento da economia à frente.


Dados da Receita mostraram que a arrecadação cresceu 24,5% em termos reais no primeiro semestre do ano, para 881,966 bilhões de reais, maior valor da série.

“O que nós vamos fazer é justamente pegar uma parte desse aumento de arrecadação e transformar isso numa redução de alíquotas e simplificação de impostos, como sempre prometemos”, disse o ministro.

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos