Mercado

Mercado Hoje: investidor monitora inflação de outubro e falas de Campos Neto em evento nos EUA

No exterior, os futuros de Nova York e as bolsas da Europa operam sem fôlego nesta sexta-feira (10)

Mercado Hoje: investidor monitora inflação de outubro e falas de Campos Neto em evento nos EUA
(Foto: Envato Elements)

Os mercados locais devem repercutir ao longo das negociações desta sexta-feira (10) os números do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) referente a outubro. As falas do presidente do  Banco Central, Roberto Campos Neto, em evento em Chicago, nos Estados Unidos, também vão entrar no radar dos investidores. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva se reúne com os ministros que o governo classifica como parte da “área social” pela manhã e à tarde com o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira.

Nos EUA, dois dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) discursam e será divulgada a pesquisa da Universidade de Michigan sobre a confiança e as expectativas de inflação dos consumidos americanos. A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, discursa em evento do Financial Times.

Os futuros de Nova York estão sem tração na manhã desta sexta-feira após as bolsas terem caído ontem diante da sinalização do presidente do Fed, Jerome Powell, de que um novo aumento de juros é possível diante da força da economia americana. Até então, prevalecia a leitura de que a autoridade monetária do país teria encerrado seu ciclo de aperto monetário, após deixar as taxas básicas inalteradas em suas duas últimas reuniões.

Na Europa, a fala de Powell ainda pesa nas bolsas e os dados britânicos melhores do que o esperado – Produto Interno Bruto (PIB) do tetrceiro trimestre de 2023 e produção industrial – ficaram em segundo plano. O dólar e juros dos Treasuries (títulos de renda fixa de dívida pública do governo norte-americano), por sua vez, operam mais perto da estabilidade, enquanto o petróleo tem leve alta.

Brasil

Diante da falta de fôlego no exterior, o investidor aguarda por uma leve aceleração do IPCA de outubro, de 0,29%, ante 0,26% em setembro, e também alta dos núcleos. Para a inflação acumulada em 12 meses, a mediana, porém, indica desaceleração a 4,87%, ante 5,19%. A mediana para o IPCA de 2023 indica alta de 4,60%, abaixo do teto da meta, de 4,75%, pela primeira vez no ano.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

O dado pode ajudar a reforçar a aposta de mais dois cortes de 50 pontos-base da Selic nas próximas reuniões. Ontem o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, avaliou que o BC começou a cortar os juros “um pouco tarde” e o ciclo de flexibilização monetária, iniciado em agosto, ainda não surtiu efeito.

Segundo ele, os cortes de juros poderiam ter começado duas reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom) antes a um ritmo de 0,25 ponto porcentual. O Ibovespa deve ser guiado por uma bateria de balanços, como os da Petrobras (PETR3; PETR4) e Bradesco (BBDC4).

Agenda

  • A agenda do dia traz a divulgação do IPCA de outubro por volta das 9h;
  • Às 20h, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, participa de evento em Chicago, nos Estados Unidos;
  • Dois dirigentes do Federal Reserve discursam: presidente do Fed de Dallas, Lorie Logan (9h30) e do Fed de Atlanta, Raphael Bostic (11h);
  • Sai ainda a pesquisa da Universidade de Michigan sobre a confiança e as expectativas de inflação dos consumidos americanos (12h);
  • A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, participa de conversa durante o Painel Global do Financial Times de 2023 (9h30).

Com informações do Broadcast