DÓLAR R$ 5,09 -0,05% BBDC4 R$ 19,13 +1,49% EURO R$ 5,24 -0,19% ITUB4 R$ 26,38 +1,43% MGLU3 R$ 3,29 +6,82% PETR4 R$ 37,11 -0,35% ABEV3 R$ 15,16 +2,71% GGBR4 R$ 25,38 +0,63% IBOVESPA 110.235,76 pts +1,46% VALE3 R$ 70,05 -0,13%
DÓLAR R$ 5,09 -0,05% BBDC4 R$ 19,13 +1,49% EURO R$ 5,24 -0,19% ITUB4 R$ 26,38 +1,43% MGLU3 R$ 3,29 +6,82% PETR4 R$ 37,11 -0,35% ABEV3 R$ 15,16 +2,71% GGBR4 R$ 25,38 +0,63% IBOVESPA 110.235,76 pts +1,46% VALE3 R$ 70,05 -0,13%
Delay: 15 min
Mercado

Mercado Intraday: Ibovespa em alta pelo segundo dia consecutivo

Mercado Intraday: Ibovespa em alta pelo segundo dia consecutivo
Foto: Shutterstock/Immersion Imagery/Reprodução

No exterior, os mercados internacionais tiveram uma sensível piora neste início de quinta-feira, após o Kremlin desmentir relatos do Financial Times sobre progressos nas negociações de paz da Rússia com a Ucrânia. A notícia pesou nas bolsas europeias, que na sua maioria registram queda .Os índices acionários de NY, por sua, vez, negociavam no início da tarde muito próximos a estabilidade. O dólar e o juros das treasuries perdem força, enquanto o petróleo dispara mais de 5%. Em meio aos temores globais com a inflação, também é negativa a notícia de que a inflação anual do CPI da Zona do Euro acelerou para uma taxa recorde de 5,9% em fevereiro.

No Brasil, os investidores reagem às indicações do Copom e à valorização do petróleo, além de ecoar a decisão do Federal Reserve. Os juros futuros se ajustam em baixa à sinalização de que a Selic deve subir mais 1 ponto porcentual em maio, indo até 12,75%, uma vez que precificavam um aperto maior. Ao mesmo tempo, como o Copom condicionou a situação daqui para frente ao comportamento do petróleo, a valorização da commodity limita a resposta dos DIs. O Ibovespa busca o segundo dia consecutivo de ganhos, puxado por ações ligadas a commodities metálicas. Mas Petrobras contraria a alta do petróleo, em meio ao desconforto com pressão política sobre a diretoria da estatal. No câmbio, o dólar começa a tarde em queda, depois de oscilar num intervalo estreito, , sob influência do petróleo, de um lado, e cautela política e fiscal, de outro. A perspectiva de um ciclo mais longo de aperto monetário no Brasil e nos EUA, após as decisões de juros e sinalizações do Copom e do Fed ontem, também impacta a cotação.

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos