MGLU3 R$ 6,39 -7,39% EURO R$ 6,22 -0,12% BBDC4 R$ 21,30 +2,11% PETR4 R$ 31,95 +0,57% IBOVESPA 107.937,11 pts -0,92% ITUB4 R$ 23,27 -0,13% DÓLAR R$ 5,50 +0,00% ABEV3 R$ 14,70 +0,07% VALE3 R$ 83,87 -1,22% GGBR4 R$ 27,80 +1,24%
MGLU3 R$ 6,39 -7,39% EURO R$ 6,22 -0,12% BBDC4 R$ 21,30 +2,11% PETR4 R$ 31,95 +0,57% IBOVESPA 107.937,11 pts -0,92% ITUB4 R$ 23,27 -0,13% DÓLAR R$ 5,50 +0,00% ABEV3 R$ 14,70 +0,07% VALE3 R$ 83,87 -1,22% GGBR4 R$ 27,80 +1,24%
Delay: 15 min
Mercado

Ibovespa hoje: Petrobras (PETR3), Petrobras (PETR4) e IRB (IRBR3) são os destaques negativos

Índice fechou o pregão em queda de 0,64%, aos 118.430,53 pontos

Tanques de combustíveis da Petrobras
Tanques de combustíveis da Petrobras (Foto: Ueslei Marcelino/Reuters)
  • O principal índice da B3 caiu nesta sexta-feira (19) devido à sensação de um governo mais intervencionista que manteve o clima de cautela no mercado doméstico
  • As três ações que registraram as maiores quedas do índice foram Petrobras (PETR3), Petrobras (PETR4) e IRB (IRBR3)

O Ibovespa hoje encerrou o pregão em baixa de 0,64%, aos 118.430,53 pontos e com giro financeiro de R$ 38,7 bilhões. Em uma semana mais curta e de baixa liquidez, o principal índice da B3 caiu nesta sexta-feira (19) em resposta à intervenção do presidente Jair Bolsonaro na Petrobras – a sensação de um governo mais intervencionista manteve o clima de cautela no mercado doméstico.

Após recuperar os 120 mil pontos na quarta-feira, primeiro pregão pós-Carnaval, o IBOV caiu nas suas sessões seguintes, chegando à faixa dos 118 mil pontos nesta sexta (19). Nos Estados Unidos, as bolsas fecharam sem uma direção única. O Down Jones fechou estável, aos 31.494,32 pontos, o S&P 500 caiu 0,19, aos 3.906,71 pontos, e o Nasdaq avançou 0,07%, aos 13.874,46 pontos.

As três ações que registraram as maiores quedas do índice foram Petrobras (PETR3), Petrobras (PETR4) e IRB (IRBR3).

Confira o que afetou o desempenho desses três papéis:

Petrobras (PETR3): -7,92%, R$ 27,10

Com baixa de 7,92%, as ações da empresa tiveram o pior desempenho do dia e encerraram o pregão cotadas a R$ 27,10. Os papéis ON foram pressionados pelas declarações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), indicando interferência na companhia.

O presidente chegou a afirmar que ‘algo aconteceria’ na empresa, chamou os reajustes de abusivos e  se mostrou insatisfeito com o presidente da companhia, Roberto Castello Branco.

No mês e no ano, as ações da empresa têm desvalorização de 0,84% e 6,40%, respectivamente.

Petrobras (PETR4): -6,63%, R$ 27,33

Com variação negativa de 6,63%, as ações da empresa estão em segundo lugar no ranking das que mais caíram neste pregão, cotadas a R$ 27,33. Os papéis PN foram afetados pelos mesmo motivos das ações ordinárias.

As ações da empresa têm valorização de 2,40% no mês e desvalorização de 3,56% no ano.

IRB (IRBR3): -3,91%, R$ 6,39

Com desvalorização de 3,91%, as ações da empresa fecham o top 3 das maiores baixas do pregão, cotadas a R$ 6,39. A queda dos papéis do ressegurador se deve aos resultados trimestrais aquém do esperado. Entre outubro e dezembro, a companhia reportou prejuízo líquido de R$ 620,2 milhões, bem acima do consenso do mercado, que era de perda de R$ 25 milhões.

O CEO da companhia, Antonio Cássio dos Santos, afirmou hoje, durante teleconferência sobre os resultados, que a empresa deve voltar a registrar lucro em 2021, mas destacou que somente estará operando “a pleno vapor” entre 2022 e 2023. “Continuamos fazendo o clean up, mas há sinais claros de recuperação”, disse o executivo.

No mês, as ações da empresa têm desvalorização de 11,25%. No ano, de 21,88%.

*Com Estadão Conteúdo

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos