MGLU3 R$ 2,41 +1,68% ITUB4 R$ 23,08 -1,11% EURO R$ 5,43 +0,36% BBDC4 R$ 17,60 -1,95% DÓLAR R$ 5,20 +0,31% IBOVESPA 99.621,58 pts -0,96% VALE3 R$ 78,79 -1,03% GGBR4 R$ 23,14 -1,11% PETR4 R$ 28,08 -0,42% ABEV3 R$ 13,61 +0,00%
MGLU3 R$ 2,41 +1,68% ITUB4 R$ 23,08 -1,11% EURO R$ 5,43 +0,36% BBDC4 R$ 17,60 -1,95% DÓLAR R$ 5,20 +0,31% IBOVESPA 99.621,58 pts -0,96% VALE3 R$ 78,79 -1,03% GGBR4 R$ 23,14 -1,11% PETR4 R$ 28,08 -0,42% ABEV3 R$ 13,61 +0,00%
Delay: 15 min
Negócios

Inadimplência bate recorde e atinge 66,1 milhões de brasileiros

Este é o maior patamar já atingido pelo Indicador de Inadimplência da Serasa Experian

Inadimplência bate recorde e atinge 66,1 milhões de brasileiros
Número de endividados bate recorde em abril. Foto: Envato Elements
  • O Brasil alcançou a marca recorde de 66,1 milhões de inadimplentes em abril, o maior patamar da série histórica, iniciada em 2016
  • Em abril, a soma das dívidas dos brasileiros com o nome no vermelho chegou a R$ 271,6 bilhões. Deste montante, os débitos com bancos e cartões corresponde 28,1% do total, enquanto as pendências contas básicas como água, luz e gás representam 22,9%

O Brasil alcançou a marca recorde de 66,1 milhões de inadimplentes em abril, de acordo com o Indicador de Inadimplência da Serasa Experian. Este é o maior patamar da série histórica, iniciada em 2016, quando o País mergulhava em uma crise que culminou em uma queda de 3,3% do Produto Interno Bruto (PIB).

No quarto mês de 2022, a soma das dívidas dos brasileiros com o nome no vermelho chegou a R$ 271,6 bilhões. Deste montante, os débitos com bancos e cartões de crédito corresponde a 28,1% do total, enquanto as pendências contas básicas como água, luz e gás representam 22,9%.

Em comparação a abril de 2021, as dívidas com ‘financeiras’ foram as que mais aumentaram, passando de 9,6% para 12,4%. De acordo com Luiz Rabi, economista da Serasa Experian, essas instituições costumam oferecer crédito para perfis de risco, como os consumidores inadimplentes, o que justifica esse crescimento em 12 meses.

O especialista alerta que existem algumas ferramentas que podem auxiliar o consumidor que está endividado. “O saque extraordinário do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e a antecipação do pagamento do 13º salário para aposentados podem e devem ser utilizadas para reorganizar as finanças pessoais, amenizar dívidas e tentar tirar o nome do vermelho”, afirma Rabi.

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos