EURO R$ 6,23 +0,02% ITUB4 R$ 28,71 +3,75% DÓLAR R$ 5,30 +0,00% MGLU3 R$ 15,87 -3,30% ABEV3 R$ 15,88 +0,51% GGBR4 R$ 27,00 +5,83% IBOVESPA 114.064,36 pts +1,59% BBDC4 R$ 20,72 +4,59% PETR4 R$ 26,84 +4,06% VALE3 R$ 78,91 -0,35%
EURO R$ 6,23 +0,02% ITUB4 R$ 28,71 +3,75% DÓLAR R$ 5,30 +0,00% MGLU3 R$ 15,87 -3,30% ABEV3 R$ 15,88 +0,51% GGBR4 R$ 27,00 +5,83% IBOVESPA 114.064,36 pts +1,59% BBDC4 R$ 20,72 +4,59% PETR4 R$ 26,84 +4,06% VALE3 R$ 78,91 -0,35%
Delay: 15 min
Últimas notícias

Metais: cobre fecha em baixa, com intervenção da China no radar

(Estadão Conteúdo) – Os contratos futuros de cobre fecharam em baixa hoje, pressionados pelas intervenções da China nos mercados, o que vem levando cautela a uma série de setores. O dólar forte também forte também pesou sobre os preços, à espera da decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano). Desta forma, o metal, cotado na moeda americana, torna-se mais caro para detentores de outras divisas.

O cobre com entrega prevista para setembro recuou 1,37%, a US$ 4,4820 a libra-peso, na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex). Já na London Metal Exchange (LME), o cobre para três meses recuava 0,93%, a US$ 9.668,00 a tonelada, às 14h39 (de Brasília).

No último sábado, Pequim divulgou regras que obrigam serviços de tutoria escolar a operar sem fins lucrativos, de forma a lidar com os crescentes custos educacionais na China. Na avaliação da Capital Economics, este setor não é particularmente importante para os ativos, e o que de fato preocupa é o que as medidas dizem sobre as “prioridades e abordagens” dos formuladores de política, com o avanço do governo sobre grandes empresas de tecnologia ainda “frescos na cabeça de investidores”.

Por sua vez, o panorama geral para commodities vem sendo de recuperação. Segundo o Commerzbank, o índice LME de metais básicos ganhou 3% até agora em julho, recuperando algumas das perdas que havia contabilizado desde o início de maio.

“Os preços dos metais foram favorecidos recentemente pelo otimismo da demanda entre os participantes do mercado e por uma série de interrupções na produção”, aponta o analista para metais industriais do banco alemão Daniel Briesemann. Entre os fatores, ele cita os recentes eventos climáticos extremos na China, que vem atrapalhando parte das cadeias de produção.

Entre outros metais negociados no pregão eletrônico da LME no mesmo horário, a tonelada do zinco recuava 0,50%, a US$ 2.967,50, a do estanho ganhava 0,83%, a US$ 33.660,00, a do níquel tinha alta de 1,07%, a US$ 19.565,00, a do chumbo avançava 0,19%, a US$ 2.343,00, e a do alumínio tinha ganho de 1,24%, a US$ 2.521,00.

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos