EURO R$ 6,10 -0,19% MGLU3 R$ 6,75 +0,45% DÓLAR R$ 5,43 +0,00% PETR4 R$ 33,87 +2,67% ABEV3 R$ 15,00 -0,46% ITUB4 R$ 24,37 +1,08% BBDC4 R$ 22,17 +0,09% GGBR4 R$ 27,88 +1,79% IBOVESPA 111.289,18 pts +0,98% VALE3 R$ 84,30 +0,29%
EURO R$ 6,10 -0,19% MGLU3 R$ 6,75 +0,45% DÓLAR R$ 5,43 +0,00% PETR4 R$ 33,87 +2,67% ABEV3 R$ 15,00 -0,46% ITUB4 R$ 24,37 +1,08% BBDC4 R$ 22,17 +0,09% GGBR4 R$ 27,88 +1,79% IBOVESPA 111.289,18 pts +0,98% VALE3 R$ 84,30 +0,29%
Delay: 15 min

Fed: Bostic diz que não vê aumento ‘significativo’ da inflação

  • O presidente da distrital de Atlanta do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Raphael Bostic, minimizou hoje as preocupações com uma disparada dos preços e afirmou que não enxerga um descontrole inflacionário como iminente

(Estadão Conteúdo) – O presidente da distrital de Atlanta do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Raphael Bostic, minimizou hoje as preocupações com uma disparada dos preços e afirmou que não enxerga um descontrole inflacionário como iminente. “Observo a trajetória da inflação e não tenho certeza se esse caminho me incomoda”, disse, em evento virtugal organizado pelo Clube Econômico de Nova York.

O dirigente reconheceu que há algumas forças atuando sobre os dados que merecem atenção, particularmente a valorização das commodities e a alta do juro da T-note de 10 anos. “Saindo de métricas muito baixas há um ano, isso provavelmente produzirá um grande, mas não especialmente significativo, aumento nas leituras de inflação nos próximos meses”, projetou.

Bostic defendeu que é preciso mudar ampliar as métricas para análise do quadro inflacionário e também do máximo emprego, os dois mandatos do Fed. Ele ressaltou ainda que, no momento, não pensa na remoção da acomodação da política monetária. “Claro, o Comitê e eu dependemos dos dados, então minha visão pode mudar se as condições o justificarem. Mas não acho que isso vá acontecer nos próximos meses”, pontuou.

Quanto à recuperação econômica, o líder da regional de Atlanta disse que os dados de emprego apontam para uma retomada desigual. Segundo ele, essas disparidades acontecem entre setores, classe social e gênero. No entendimento de Bostic, a abordagem dessas desiguldades não é contrária aos objetivos do Fed. “Ao contrário, aumenta e enriquece nossa concepção de pleno emprego, pois empregamos uma abordagem com nuances semelhantes para entender melhor a inflação”, argumentou.

Invista com o apoio de conteúdos exclusivos e diários. Cadastre-se na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos