EURO R$ 6,21 -1,63% MGLU3 R$ 6,36 +7,98% BBDC4 R$ 21,15 -1,03% DÓLAR R$ 5,47 -1,80% ABEV3 R$ 14,53 -0,34% IBOVESPA 108.104,75 pts +1,35% PETR4 R$ 31,58 -0,19% ITUB4 R$ 23,53 -0,47% VALE3 R$ 88,17 +2,16% GGBR4 R$ 28,97 +1,29%
EURO R$ 6,21 -1,63% MGLU3 R$ 6,36 +7,98% BBDC4 R$ 21,15 -1,03% DÓLAR R$ 5,47 -1,80% ABEV3 R$ 14,53 -0,34% IBOVESPA 108.104,75 pts +1,35% PETR4 R$ 31,58 -0,19% ITUB4 R$ 23,53 -0,47% VALE3 R$ 88,17 +2,16% GGBR4 R$ 28,97 +1,29%
Delay: 15 min
Últimas notícias

Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA caem para mínima em 19 meses

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego recuaram em 6 mil para 290 mil em dado ajustado sazonalmente

emprego-desemprego-fila
Fila de pessoas buscando emprego. Foto: Werther Santana/Estadão

O número de norte-americanos que entraram com novos pedidos de auxílio-desemprego caiu para uma mínima em 19 meses na semana passada, apontando para um aperto no mercado de trabalho, embora a escassez de trabalhadores possa manter o ritmo de contratações moderado em outubro.

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego recuaram em 6 mil para 290 mil em dado ajustado sazonalmente, na semana encerrada em 16 de outubro, informou o Departamento do Trabalho nesta quinta-feira (21). Esse foi o patamar mais baixo desde meados de março de 2020, quando o país estava no estágio inicial da pandemia de covid-19, e também a segunda semana seguida em que os pedidos permaneceram abaixo de 300 mil, à medida que empregadores seguravam os trabalhadores diante da aguda escassez de mão de obra.

Economistas consultados pela Reuters projetavam 300 mil pedidos na semana passada. Os registros caíram de um recorde de 6,149 milhões no início de abril de 2020. Uma faixa de 250 mil a 300 mil solicitações é considerada como consistente com condições saudáveis de mercado de trabalho.

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos