ITUB4 R$ 24,64 -1,04% MGLU3 R$ 12,75 -3,77% DÓLAR R$ 5,65 +0,96% EURO R$ 6,58 +0,89% BBDC4 R$ 21,42 -0,88% IBOVESPA 108.062,23 pts -2,46% GGBR4 R$ 26,49 -3,11% PETR4 R$ 27,56 -2,99% ABEV3 R$ 15,02 -2,15% VALE3 R$ 73,43 -3,90%
ITUB4 R$ 24,64 -1,04% MGLU3 R$ 12,75 -3,77% DÓLAR R$ 5,65 +0,96% EURO R$ 6,58 +0,89% BBDC4 R$ 21,42 -0,88% IBOVESPA 108.062,23 pts -2,46% GGBR4 R$ 26,49 -3,11% PETR4 R$ 27,56 -2,99% ABEV3 R$ 15,02 -2,15% VALE3 R$ 73,43 -3,90%
Delay: 15 min
Últimas notícias

Brasil é o 1º em downloads de aplicativos de e-commerce na pandemia

19% dos downloads de apps de e-commerce feitos via Android no mundo no período aconteceram no Brasil

Foto: Pixabay

(Reuters) – O Brasil foi o país com maior número de instalações de aplicativos de comércio eletrônico desde o início da pandemia, mostrando como as restrições de isolamento social rapidamente colocaram o país como um dos mercados mais cobiçados por empresas do setor no mundo todo.

Segundo um levantamento da empresa de medição de performance de marketing digital AppsFlyer, 19% dos downloads de apps de e-commerce feitos via Android no mundo todo entre janeiro de 2020 e julho deste ano aconteceram no Brasil.

Já na plataforma iOS, usada em iPhones, o Brasil foi o segundo maior, com 9% das instalações, atrás apenas dos Estados Unidos, com 25% das instalações no ranking que não inclui China.

Em totais, isso significa cerca de 750 milhões de aplicativos de comércio eletrônico instalados em smartphones no Brasil em 19 meses até julho, de um universo mundial de 4,5 bilhões de downloads.

E mesmo a gradual flexibilização mais recente dos lockdowns adotados para tentar frear a disseminação da covid-19 não freou os downloads de apps de ecommerce no Brasil, que cresceram 23% nos primeiros sete meses deste ano ante mesma etapa de 2020.

Segundo o gerente de marketing da AppsFlyer no Brasil, Marlon Luft, o dado mostra tanto a melhor aceitação por brasileiros do uso de aplicativos como o entendimento dos lojistas de que esse canal aumenta a taxa de conversão, ou seja, de efetivamente vender aos clientes do que por meio dos sites de comércio eletrônico.

“As empresas aqui entenderam isso melhor do que em outros mercados, como no México”, disse Luft à Reuters.

De fato, o estudo mostra que o Brasil também teve o segundo maior gasto do mundo com marketing para aquisição de usuários de aplicativos de e-commerce, investindo 674 milhões de dólares entre o quarto trimestre de 2020 e o primeiro trimestre de 2021.

Esse montante ficou só atrás do Estados Unidos, com 1,8 bilhão de dólares, porém muito à frente do Reino Unido, terceiro, com 331 milhões de dólares.

Dados mais detalhados do levantamento mostram que a despesa das empresas de comércio eletrônico com marketing para convencer usuários a instalarem seus aplicativos dispararam 171% em 12 meses até março no Brasil, para 2,88 dólares por download.

Segundo Luft, esse é um dado relevante se considerar o índice de desinstalações de aplicativos no Brasil também é alto. Segundo a AppsFlyers, no fim do primeiro semestre, de cada 100 apps baixados, 53 eram excluídos em até 30 dias.

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos