Tempo Real

Metais: cobre fecha em baixa empurrado pela valorização do dólar

O cobre com entrega para dezembro recuou 0,27%, a US$ 3,5030 por libra-peso, na Comex

Metais: cobre fecha em baixa empurrado pela valorização do dólar
Textura de fios de cobre. Foto: Envato Elements

O cobre encerrou a sessão de hoje em baixa. Commodities cotadas em dólar, como metais básicos, foram pressionadas pela valorização da divisa americana hoje, que por sua vez responde às expectativas pela decisão de amanhã do Federal Reserve (Fed).

Na Comex, divisão para metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre com entrega para dezembro recuou 0,27%, a US$ 3,5030 por libra-peso. Na London Metal Exchange (LME), por volta de 14h20 (de Brasília) a tonelada do cobre para três meses baixava 0,60%, a US$ 7.725,00.

Segundo o TD Securities, o sentimento no mercado de metais industriais está “misto” hoje em meio ao mau humor geral por conta do Fed e sinais positivos da China, que tem flexibilizado medidas contra a covid-19 atualmente em vigor por lá.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Segundo analistas consultados pelo Broadcast, o BC americano deve manter seu ritmo de aperto monetário robusto e voltar a subir os juros em 75 pontos-base amanhã. Também são esperadas novas projeções da entidade e o tradicional discurso do presidente Jerome Powell após a decisão.

Especificamente sobre o cobre, o TD Securities ressalta que o apoio aos preços vindo da oferta escassa do Peru tem perdido força recentemente, após bloqueios de protestantes em minas peruanas terem sido suspensos após reunião com autoridades nacionais.

“Com o afrouxamento do lado da oferta, a maioria dos metais permanece vulnerável aos sinais de deterioração da demanda”, avalia o banco de investimentos canadense. O mercado tem acompanhado diversas instituições passarem a projetar recessão da economia global em breve.

Entre outros metais negociados na LME sob mesmo vencimento, no horário citado acima, a tonelada do alumínio cedia 0,09%, a US$ 2.247,00; a do chumbo perdia 0,29%, a US$ 1.876,50, a do níquel avançava 1,28%, a US$ 24.985,00; a do estanho ganhava 0,47%, a US$ 21.250,00; e a do zinco caía 1,20%, a US$ 3.124,00