Últimas notícias

Criptomoedas sobem e bitcoin volta a tocar US$ 65 mil após dado dos EUA

As expectativas por cortes de juros pelo Federal Reserve também estiveram no radar da sessão

Criptomoedas sobem e bitcoin volta a tocar US$ 65 mil após dado dos EUA
Bitcoin. Imagem: Adobe Stock

O bitcoin subiu nesta quarta-feira (15), depois do índice de preços ao consumidor (CPI) dos Estados Unidos desacelerar em abril e alimentar as expectativas por cortes de juros a partir da reunião de setembro pelo Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA).

Por volta das 16h30 (de Brasília), o bitcoin subia 6,82%, a US$ 65.667,10, enquanto o ethereum ganhava 4,46%, a US$ 3.008,32.
A alta de hoje devolve a maior criptomoeda do mundo ao patamar dos US$ 65 mil após dias de volatilidade, enquanto a macroeconomia permanece como o maior catalisador do momento, após o halving e conforme os ETFs de cripto à vista perdem protagonismo.

Segundo o Julius Baer, é improvável que a redução à metade na emissão de bitcoins na blockchain traga resultados no curto prazo, com isso, “as expectativas macroeconômicas estão de volta ao comando”, injetando volatilidade elevada no curto prazo.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Hoje, o índice cheio do CPI americano e o núcleo – que exclui itens voláteis como alimentos e energia – subiram 0,3% em abril ante março, respectivamente. Na comparação anual, o CPI aumentou 3,4% e o núcleo subiu 3,6% em abril, desacelerando em relação aos avanços de 3,5% e 3,8% em março.

Este valor, segundo a Oxford Economics, não é um grande passo para o Federal Reserve, visto que não muda a perspectiva do BC no curto prazo, mas reforça que as taxas cairão ainda este ano. No monitoramento do CME Group, a probabilidade de redução das taxas em setembro – que já era majoritária – agora ultrapassou 75%, e a chance de cortes de 50 pontos-base no agregado do ano se consolidou como a mais provável.