Últimas notícias

Ibovespa hoje: commodities, balanços e projeções impedem índice de subir

Às 10h52, o Ibovespa caía 0,87%, aos 124.483,63 pontos.

Ibovespa hoje: commodities, balanços e projeções impedem índice de subir
Painel da Bolsa de Valores. (Imagem: Adobe Stock)

A queda das commodities e a piora nas projeções das principais variáveis no boletim Focus impedem o Ibovespa de subir refletindo a leve alta vista das bolsas de Nova York nesta manhã de terça-feira (23), em meio a balanços dos EUA.

Além disso, pesa o lucro abaixo do esperado da Usiminas no primeiro trimestre e ficam no radar os ruídos políticos, bem como as questões fiscais.

O Ibovespa acelerou o ritmo de queda e só oito ações subiam na carteira do principal indicador da B3, de um total de 86 papéis, apesar da alta das bolsas americanas.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

Já na parte setorial da Bolsa, a queda era generalizada, com destaque a segmentos mais sensíveis ao ciclo de juros, como imobiliário e de consumo.

Em meio a elevadas incertezas em relação à política monetária mundial, sobretudo dos Estados Unidos, a pesquisa Focus trouxe alterações consideráveis.

A projeção mediana para a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2024 subiu de 3,71% para 3,73%.

Para 2025, foco principal da política monetária, a estimativa passou de 3,56% para 3,60%. Além disso, a expectativa para a Selic de 2024 foi a 9,50% (ante 9,13%).

A estimativa para 2025 foi a 9,00%. “Dada a piora externa e interna, demorara para mexer nas projeções na Focus”, ressalta Monica Araujo, estrategista de renda variável da InvestSmart XP.

Publicidade

“E acredito que isso é apenas o começo, que ainda vermos novos ajustes. Mas é natural, pois houve uma mudança do cenário aqui e lá fora”, completa.

Entretanto, Mônica pondera que o aumento da projeção na Focus para o PIB de 2024, que passou de 1,95% para 2,20%, é uma boa notícia, podendo indicar resultados melhores de algumas empresas ligadas ao consumo no curto prazo.

Porém, por ora, prevalece a queda do Índice Bovespa que, para o estrategista-chefe do Grupo Laatus, Jefferson Laatus, reflete a deterioração nas projeções principalmente para a taxa Selic no levamento Focus, divulgado nesta terça-feira (23).

Segundo ele, as revisões podem sugerir que o juro básico poderá terminar o ano na faia de dois dígitos.

“A queda do minério de ferro na China, em meio à falta de novidades, de estímulos, também impacta”, diz Laatus.

Publicidade

Outro fator desfavorável ao Ibovespa, ressalta o estrategista, são as continuadas preocupações fiscais e os ruídos políticos, lembrando da chamada do presidente Lula feita na segunda-feira (22) aos ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e ao vice-presidente Geraldo Alckmin.

“Criticas feitas em público pegam mal, reforçam a desarmonia entre os Poderes e inclusive internamente”, avalia.

No exterior, o minério de ferro fechou em baixa de 1,91%, em Dalian, e o petróleo cai perto de 0,50%, o que pesa nas ações da Vale e da Petrobras, respectivamente.

Vale (VALE3) cedia 1,50% e Petrobras recuava entre 0,60% (PETR3) e -0,85% (PETR4) às 10h45.

Ao mesmo tempo, a Usiminas registrou lucro líquido de R$ 36 milhões no primeiro trimestre de 2024, queda de 93% ante o mesmo período de 2023 e recuo de 96% no intervalo sequencial.

Publicidade

O lucro líquido da Usiminas (USIM5) no primeiro trimestre de 2024, de R$ 36 milhões, ficou 34% abaixo da média das estimativas compiladas pelo Prévias Broadcast, que esperava lucro de R$ 55 milhões.

Às 10h52, o Ibovespa caía 0,87%, aos 124.483,63 pontos, após ceder 1,01%, aos 124.310,10 pontos, na mínima, ante variação zero, quando alcançou a máxima aos 125.571,86 pontos.