Tempo Real

Metais: cobre fecha em alta, com dados da inflação da China no radar

Na Comex, o cobre com entrega prevista para dezembro fechou em alta de 0,47%, a US$ 3,7000 por libra-peso

Metais: cobre fecha em alta, com dados da inflação da China no radar
Foto: Envato Elements

O cobre fechou em alta nesta quarta-feira (09), com o mercado avaliando dados de inflação na China, principal importador do metal. A sessão foi marcada ainda pelo avanço do dólar com as eleições dos Estados Unidos, o que impacta nos preços da commodity, cotada na moeda americana.

Na Comex, divisão para metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre com entrega prevista para dezembro fechou em alta de 0,47%, a US$ 3,7000 por libra-peso. Na London Metal Exchange (LME), por volta de 15h04 (de Brasília), a tonelada do cobre para três meses subia 0,72%%, a US$ 8.112,00.

O mercado está buscando direção, com a falta de fatores macro impulsionando o sentimento, embora os números positivos da inflação na China tenham ajudado a elevar os índices de metais chineses, disse Zenon Ho, da Marex, em nota.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

O mercado avaliou os dados da inflação da China. O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) do país aumentou 2,1% em outubro em relação ao mesmo mês do ano anterior. o índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) caiu 1,3% em outubro ante igual mês do ano passado.

Hoje, o dólar operou em alta, o que torna o metal menos atraente para investidores. Segundo análise da Convera, o sentimento de risco em relação à moeda diminuiu à medida que os resultados das eleições de meio de mandato dos Estados Unidos se inclinam para um governo dividido. Investidores também mantiveram no radar o aumento de casos de Covid-19 na China, que devem levar novamente à rigidez das políticas contra a doença.

Entre outros metais negociados na LME sob mesmo vencimento, no horário citado, a tonelada do alumínio descia 1,41%, a US$ 2.312,00; a do chumbo crescia 1,67%, a US$ 2.073,50; a do níquel avançava 3%, a US$ 24.545,00; a do estanho descia 1,01%, a US$ 19.550,00; e a do zinco tinha baixa de 2,14%, a US$ 2.858,50.

*Com informações Dow Jones Newswires