ITUB4 R$ 24,76 +2,15% EURO R$ 6,33 -1,15% MGLU3 R$ 14,56 +2,54% DÓLAR R$ 5,46 +0,00% BBDC4 R$ 21,28 +5,24% IBOVESPA 114.647,99 pts +1,29% GGBR4 R$ 28,17 +0,21% ABEV3 R$ 15,53 -0,26% PETR4 R$ 29,60 -0,10% VALE3 R$ 80,68 +1,41%
ITUB4 R$ 24,76 +2,15% EURO R$ 6,33 -1,15% MGLU3 R$ 14,56 +2,54% DÓLAR R$ 5,46 +0,00% BBDC4 R$ 21,28 +5,24% IBOVESPA 114.647,99 pts +1,29% GGBR4 R$ 28,17 +0,21% ABEV3 R$ 15,53 -0,26% PETR4 R$ 29,60 -0,10% VALE3 R$ 80,68 +1,41%
Delay: 15 min
Últimas notícias

Petrobras investiu US$ 2,4 bilhões no segundo trimestre deste ano

Nos últimos 12 meses, a Petrobras ampliou em 22% o total investido em relação ao ano anterior

Logo da Petrobras no prédio da empresa
Embora as ações PN não garantam voto em assembleia, são uma opção para quem quer investir na Petrobras e garantir o recebimento dos lucros, mesmo em um cenário não favorável à empresa. (Foto: Sergio Moraes/Reuters)

(Estadão Conteúdo) – A Petrobras ampliou em 22% o total investido em 12 meses, informou a empresa em comunicado. No segundo trimestre deste ano, o orçamento ficou em US$ 2,4 bilhões, superior aos US$ 301 milhões recebidos com a venda de ativos. Com esses números, a empresa reverte o quadro de retração do ano passado, período em que a economia foi mais fortemente impactada pela pandemia de Covid-19.

“Isso demonstra que a Petrobras está investindo mais que desinvestindo, realocando melhor seus recursos e construindo um portfólio de projetos e ativos de alta qualidade, rentáveis, resilientes e que geram valor”, destacou, no comunicado, o diretor Financeiro e de Relacionamento com Investidores, Rodrigo Araujo.

Segundo a Petrobras, mais da metade dos investimentos realizados no segundo trimestre de 2021 foram aplicados em projetos de expansão, principalmente, para aumentar a capacidade de ativos existentes, implantar novos ativos de produção, escoamento e armazenagem, aumentar eficiência ou rentabilidade do ativo e implantar infraestrutura essencial para viabilizar outros projetos de crescimento.

Dos US$ 2,4 bilhões investidos, o segmento de Exploração e Produção ficou com US$ 1,9 bilhão, dos quais aproximadamente 60% foram gastos em projetos de expansão. Esses investimentos concentraram-se no desenvolvimento da produção em águas ultraprofundas do polo pré-sal da Bacia de Santos (US$ 900 milhões) e no desenvolvimento de novos projetos em águas profundas.

Além do FPSO Carioca que inicia a produção no Campo de Sépia em agosto, a Petrobras ainda prevê a entrada em operação de mais 12 FPSOs até 2025. O FPSO do Projeto Integrado do Parque das Baleias, em fase de contratação, e outras 11 novas plataformas que já estão em fase de execução.

Invista com TAXA ZERO de corretagem por 3 meses. Abra sua conta na Ágora Investimentos

Informe seu e-mail

Faça com que esse conteúdo ajude mais investidores. Compartilhe com os seus contatos