Tempo Real

Renda fixa de longo prazo registra recuperação em novembro; veja os principais ativos

Resultado vem após três meses consecutivos de perdas

Renda fixa de longo prazo registra recuperação em novembro; veja os principais ativos
Renda fixa continua a pagar retornos atrativos

Os títulos de renda fixa de longo prazo registraram uma recuperação em seus rendimentos no mês de novembro, mostrou um levantamento da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

O resultado representa uma recuperação da categoria após três meses consecutivos apresentando perdas.

“O cenário de alta nos juros americanos vinha impactando a perspectiva econômica de longo prazo do mercado no mundo todo. Agora, os Estados Unidos assistem uma desaceleração gradual da inflação, o que melhora a visão dos investidores e, consequentemente, títulos com prazo maior performam melhor” explicou Marcelo Cidade, economista da Associação.

Títulos públicos

As NTN-Bs (títulos indexados à inflação) com vencimento acima de cinco anos, refletidos no IMA-B5+, foram o destaque do mês, com crescimento de 3,39%. Os prefixados com prazo acima de um ano, refletidos no IRF-M 1+, tiveram um avanço de 3,14%, o que elevou o ganho acumulado no ano para 16,50%, o melhor desempenho entre os índices da Anbima.

  • Confira todos os resultados do setor neste link.

Entre os papéis de curto prazo, o IMA-B-5, que reflete as NTN-Bs com vencimento até cinco anos, avançou 1,80%. Já o IRFM-1, de prefixados até um ano, teve rentabilidade de 1%.

Publicidade

Invista em oportunidades que combinam com seus objetivos. Faça seu cadastro na Ágora Investimentos

As letras financeiras do tesouro (LFTs) com duração de um dia avançaram 0,91% em novembro, de acordo com o desempenho do IMA-S.

No geral, os títulos públicos marcados a mercado, refletidos no IMA (Índice de Mercado da ANBIMA), registraram retorno de 1,84 %, acumulando rentabilidade de 12,96% no ano.

Títulos corporativos

O IDA-IPCA ex-infraestrutura, que acompanha as debêntures sem incentivo fiscal, registrou a maior rentabilidade mensal (2,46%). Os títulos incentivados (IDA-IPCA infraestrutura) aparecem em seguida, com avanço de 2,42%.

Enquanto isso, os papéis indexados à taxa diária DI (IDA-DI) valorizaram 1,23% no mês. No geral, as debêntures marcadas a mercado avançaram 1,71% em novembro, com rentabilidade acumulada de 10,45% no ano, de acordo com o IDA (Índice de Debêntures da Anbima).

Web Stories

Ver tudo
<
Como identificar uma nota falsa?
Quanto custa comer na melhor pizzaria da América Latina, que fica em SP?
D.O.M: saiba quanto custa comer em um dos 100 melhores restaurantes da América Latina
Como receber pensão vitalícia na união estável?
Quanto Madonna já ganhou na loteria?
Quanto custa comer no 2º restaurante mais caro do mundo? Descubra
Golpes eletrônicos: confira 7 golpes digitais para roubar o seu dinheiro
Ataque cibernético: relembre 7 sabotagens que afetaram o mercado financeiro
Como investir em IA para ganhar dinheiro?
5 passos para planejar a independência financeira dos seus filhos
Como identificar as notas antigas do real que saíram de circulação?
Reforma tributária: quais alimentos terão imposto zerado ou reduzido? Confira lista
>