MGLU3 R$ 63,90 +0,31% BBDC4 R$ 19,85 +4,75% ABEV3 R$ 12,62 +0,16% DÓLAR R$ 5,39 +0,93% IBOVESPA 88.620,10 pts +1,39% ITUB4 R$ 23,71 +0,21% GGBR4 R$ 13,57 +0,37% PETR4 R$ 20,36 +0,15% VALE3 R$ 53,38 -0,07%
MGLU3 R$ 63,90 +0,31% BBDC4 R$ 19,85 +4,75% ABEV3 R$ 12,62 +0,16% DÓLAR R$ 5,39 +0,93% IBOVESPA 88.620,10 pts +1,39% ITUB4 R$ 23,71 +0,21% GGBR4 R$ 13,57 +0,37% PETR4 R$ 20,36 +0,15% VALE3 R$ 53,38 -0,07%
Delay: 15 min
Educação Financeira

Bull Market e Bear Market: o que significam e as diferenças

Os termos bull market e bear market ajudam a entender tendências do mercado

Esculturas de urso, representando o "bear market", e touro, do "bull market", em frente à bolsa de valores de Frankfurt.
Esculturas de urso, representando o "bear market", e touro, do "bull market", em frente à bolsa de valores de Frankfurt. Foto: Alex Domanski/Reuters
  • "Bull market" é usado para descrever o mercado em alta
  • "Bear market" descreve o mercado em momentos de baixa
  • Entender esses momentos é fundamental para ganhar dinheiro na renda variável
O que este conteúdo fez por você?
Me ajudou a ganhar dinheiro Me ajudou a economizar Me ensinou algo que eu não sabia Me livrou de uma roubada

Os termos “bull market” e “bear market” são usados para descrever os momentos de alta e baixa do mercado, respectivamente. As duas expressões são mais utilizadas no mercado de ações, mas também servem como referência para ativos como commodities, fundos imobiliários e até para definir a situação da economia.

O que é bull market?

O bull market, ou mercado “bullish” (como um touro, em tradução livre do inglês), é usado em momentos de otimismo, quando os ativos sobem e os investidores se mostram confiantes em relação à valorização dos papéis. 

Na prática, o bull market é caracterizado quando o mercado valoriza 20% na comparação com o pico mais baixo do ciclo anterior, de baixa. 

Origem do termo “bull market”

O touro, “Bull”, em inglês,  foi o símbolo escolhido para representar o mercado em alta pela sua força, energia e imprevisibilidade. O autor do livro Miopia Corporativa, Richard Tedlow defende que o termo também se refere ao movimento de ataque do touro feito com os chifres de baixo para cima – representando o viés de crescimento.

Não é a toa que o “charging bull”, escultura de bronze próxima a Wall Street, no distrito financeiro de Nova York, é considerado a imagem mais icônica do mercado mundial. 

O que é bear market?

Ao contrário do bull market, o bear market, ou mercado “bearish” (como um urso), é utilizado para descrever momentos pessimistas, quando o preço dos ativos cai e a confiança dos agentes diminui, causando um viés generalizado de baixa.

Tecnicamente, o bear market ocorre quando determinado mercado recua mais de 20%, em relação ao pico mais alto do ciclo anterior. 

Origem do termo “bear market”

Símbolo da queda, o urso foi escolhido por hibernar durante o inverno, representando a contração em períodos de baixa. Segundo Richard Tedlow, o fato do urso atacar com suas patas de cima para baixo é outro fator que explica a analogia.

Assim como o touro, o urso também é homenageado com uma escultura, que fica em frente à Bolsa de Valores de Frankfurt, na Alemanha. 

Como ganhar dinheiro

No bull market

Um dos grandes desafios do investidor de renda variável para é identificar o início e o fim dos ciclos de bull market e bear market no mercado para buscar e oportunidades interessantes de investimento.

Quando o mercado está em alta, o ideal é entrar no começo desse movimento para aproveitar ao máximo a valorização dos ativos.

Por outro lado, esse cenário pode pegar muitos investidores desprevenidos, principalmente os iniciantes. Afinal, é sedutor achar que o crescimento é eterno e vai garantir os mesmos ganhos de alguém que entrou no início do avanço. 

Muitos, no entanto, acabam chegando no fim da festa e esquecem que o mercado enfrenta oscilações naturais e que a rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura.

No bear market

Já no mercado em baixa, a necessidade é outra: perceber o início de uma queda mais acentuada e pular fora antes dos ativos atingirem o fundo do poço, esperando uma reversão de expectativas para voltar a investir na hora certa e aproveitar o bull market. 

É importante frisar que o bear market não configura, necessariamente, um cenário catastrófico. Se o investidor tiver objetivos de longo prazo, não há necessidade de se desesperar com alguns meses de baixa. A valorização pode voltar com o passar do tempo.

Além disso, o mercado em baixa pode oferecer descontos atraentes para alguns ativos que perderam valor com o pânico gerado pela queda generalizada, mas ainda apresentam fundamentos de mercado interessantes. Ou seja, depois do susto, as ações ainda podem subir com força na retomada, basta deixar os nervos se acalmarem.

Invista com o apoio de conteúdos exclusivos e diários. Cadastre-se na Ágora Investimentos
MGLU3 R$ 63,90 +0,31% BBDC4 R$ 19,85 +4,75% ABEV3 R$ 12,62 +0,16% DÓLAR R$ 5,39 +0,93% IBOVESPA 88.620,10 pts +1,39% ITUB4 R$ 23,71 +0,21% GGBR4 R$ 13,57 +0,37% PETR4 R$ 20,36 +0,15% VALE3 R$ 53,38 -0,07%
MGLU3 R$ 63,90 +0,31% BBDC4 R$ 19,85 +4,75% ABEV3 R$ 12,62 +0,16% DÓLAR R$ 5,39 +0,93% IBOVESPA 88.620,10 pts +1,39% ITUB4 R$ 23,71 +0,21% GGBR4 R$ 13,57 +0,37% PETR4 R$ 20,36 +0,15% VALE3 R$ 53,38 -0,07%
Delay: 15 min

Informe seu e-mail